fbpx

Compras no Paraguai: lojas, imigração, alfândega e como economizar

Os vendedores falam português perfeito e o preço dos produtos é baixo comparado com o Brasil. Fazer compras no Paraguai, principalmente de eletrônicos, perfumes e outros importados, pode valer muito a pena, uma vez que o país cobra poucos impostos sobre produtos. Neste texto, damos todas as dicas para quem pretende cruzar a ponte da Amizade e ir até a Cidade do Leste gastar alguns reais ou dólares no país vizinho.

No guia, explicamos o que vale a pena comprar no Paraguai, como pesquisar os preços antes, como economizar nas compras, dicas de segurança e cuidados com possíveis golpes. Ainda: como ir de Foz do Iguaçu para Cidade do Leste, onde se hospedar e todas as informações sobre turismo na região.

Onde ficar em Foz do Iguaçu

Como chegar em Foz do Iguaçu e no Paraguai?

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu fica a 20 minutos do centro e 30 minutos da fronteira com o Paraguai. Essa é a forma mais fácil e rápida de chegar na região. No aeroporto operam as companhias aéreas Gol, Azul e Latam.

Também é possível chegar na cidade de ônibus, pela Rodoviária Internacional de Foz do Iguaçu, que recebe ônibus de vários destinos no Brasil e também da Argentina e do Paraguai.

Oura opção é o Aeroporto de Cascavel, cidade que fica a 2 horas de Foz do Iguaçu e da Cidade do Leste. Cascavel também está a cerca de duas horas de Salto del Guairá, a outra cidade para quem quer comprar no Paraguai. Nesse aeroporto operam a Azul e a Gol, com voos diários para São Paulo e conexões para todo o Brasil.

Hospedagem em Foz do Iguaçu ou na Cidade do Leste

Se você está indo fazer turismo na região de Foz, veja algumas opções de hotéis e pousadas bons e seguros em Foz do Iguaçu, todos com estacionamento. Quer mais dicas? Não deixe de ler: Onde ficar em Foz do Iguaçu: 12 hotéis nos melhores bairros

Para quem está indo só para comprar, pode fazer sentido ficar uma noite (ou mais) em Cidade do Leste. Nesse caso, veja alguns hotéis recomendados:

Ainda, para quem está indo fazer um rolê mais turístico, pode ficar na adorável Porto Iguazu, na Argentina. Veja aqui belas casas e apês para aluguel de temporada lá!

Imigração: O que precisa para entrar no Paraguai?

Você precisa ter Carteira de Identidade ou Passaporte para cruzar a fronteira com o Paraguai.

Apesar da carteira de motorista ser um documento oficial brasileiro, o agente de imigração pode sim implicar e não aceitar a CNH

A questão é que na prática a história é outra… o fluxo de pessoas é tão grande, principalmente nos feriados, que centenas de turistas cruzam a fronteira sem passar pela imigração (mas nem por isso deixe de levar o documento de identidade!!).

De Foz para Cidade do Leste: como cruzar a Ponte da Amizade?

A Ponte da Amizade, construída nos anos 50 e 60 sobre o rio Paraná, liga o Brasil ao Paraguai. Foz do Iguaçu e Cidade do Leste são duas irmãs que cresceram divididas por um rio – poucos minutos separam o centro de Foz da Ponte da Amizade. Veja como cruzar a ponte:

De Carro Próprio

Não é recomendável circular pela Cidade do Leste com seu carro brasileiro. Isso porque, ao cruzar a fronteira, você fica bastante vulnerável à cobrança de propinas por motivos diversos, como pequenos acidentes ou infrações. Me contaram até uma história de um homem que foi preso ao se recusar a pagar a quantia.

Caso você ainda assim prefira ir com seu carro, estacione-o num dos estacionamentos dos shoppings mais famosos (veja aqui quais) e evite seguir as sugestões de quem te aborda na rua tentando te direcionar para algum local mais barato (e distante).

A pé

Pode parecer estranho, mas muita gente garante que cruzar a ponte a pé é uma forma segura – e até divertida – de chegar a Cidade do Leste. Segundo minha sogra, que mora na região, o que eles costumam fazer é: parar o carro num dos estacionamentos que ficam em Foz e cruzar a ponte caminhando.

Na volta, se estiverem cansados ou com muitas sacolas, pegam um táxi ou van de volta para o Brasil. Se não, voltam a pé também.

Para quem vai de ônibus, esse também é um bom jeito: pegue o ônibus de linha comum em Foz que te deixa perto da ponte, cruze a pé e na volta você pode seguir uma das duas opções citadas acima.

Dica extra: Evite pegar ônibus internacionais para o Paraguai porque você vai perder horas na fila da imigração / alfândega.

Táxi ou Van

Minha sogra também tem dicas de segurança para quem vai pegar táxis ou vans. Segundo ela, existem vários casos de assaltos mesmo a grupos grandes. A forma de evitar isso é exigindo um táxi ou van apenas para o seu grupo. Além disso, nunca pegue um transporte que tenha mais de um motorista. Pode exigir isso na hora da negociação, que eles já estão acostumados.

E se estiver muito apreensivo, pode pedir para algum vendedor legal de uma loja para te indicar um táxi seguro.

Contratando uma agência local

E tem quem contrate uma agência de turismo local, que faz o traslado, sem dúvida a forma que dá menos dor de cabeça. Nós também já fomos assim, com a Loumar Turismo, agência de Foz do Iguaçu. O trajeto custa a partir de 30 reais.

Vale a pena comprar no Paraguai?

Você encontra praticamente de tudo no Paraguai: eletrônicos, perfumes, vinhos, artigos de beleza, produtos de decoração, instrumentos musicais… Isso tudo de marcas originais e com um preço mais próximo ao dos países onde o produto é produzido. Então, em geral é mais barato do que no Brasil. E sim, vale a pena comprar no Paraguai.

Por exemplo, um Iphone 12 mini custa 729 dólares nos EUA e 789 dólares no Paraguai. Já no Brasil, a média de preço é de 5000 reais (cerca de 970 dólares na cotação atual).

Entretanto, alguns produtos como roupas, tênis ou mesmo eletrônicos que são produzidos no BR não são tão vantajosos assim. Até porque, quando o dólar está alto, o valor dos produtos sobe muito e várias coisas ficam mais caras na conversão das moedas. Isso vai variar de produto para produto, mas vale lembrar que comprando no Paraguai você não terá a facilidade de trocar um produto. E nem acesso às regras do código de defesa do consumidor.

Vale lembrar que existem as lojinhas pequenas, de rua, e os camelôs. Nesses, você encontra todo tipo de coisinhas e cacarecos. Ali, os preços são bem baixos, mas não espere encontrar nada original.

shoppings e lojas no paraguai compras

Em quais lojas comprar no Paraguai?

Se seu objetivo é comprar coisas de marca e com qualidade, então os grandes shoppings ou lojas tradicionais são os locais recomendados no Paraguai. Muitas vezes, também é dentro desses centros comerciais que você vai conseguir comer na praça de alimentação, ir ao banheiro, estacionar o carro, etc.

Abaixo, uma lista de algumas lojas e shoppings confiáveis, onde você vai ter uma experiência de compra bastante semelhante a do Brasil.

  • Shopping China
  • Casa Nissei
  • LG Importados
  • Shopping Paris
  • Shopping Monalisa
  • Cell Shop
  • SAX
  • Mega Importados
  • Shopping del Este

Dias e horários de funcionamento: Se você puder, evite ir nos finais de semana, porque no sábado é tudo muito mais cheio e no domingo muitas lojas fecham. Normalmente, o horário de funcionamento do comércio é de 7h às 16h.

Como economizar em compras no Paraguai

  • Pesquise o preço dos produtos antes

Para ter certeza do que vale a pena ou não comprar, o jeito é pesquisar o preço antes, tanto no Brasil, quanto no Paraguai.

Aqui, use seu comparador de preço favorito. Já para as lojas do Paraguai, você pode dar uma olhada no site “Compras Paraguai” ou diretamente no site de lojas maiores.

E uma vez que estiver no Paraguai, pesquise o preço entre diferentes lojas lá.

  • Qual moeda levar: Real, Dólar ou Guarani?

Tanto faz se você vai levar reais ou dólares para fazer compras no Paraguai, as duas moedas são amplamente aceitas nas lojas, mas tudo vai depender da casa de câmbio que você fizer a conversão no Brasil. Definitivamente, não deixe para trocar dinheiro no Paraguai!

A maioria das lojas já vai apresentar o preço em reais ou em dólares.

  • Leve dinheiro físico

Mais importante de qual moeda você vai levar para o Paraguai: tenha dinheiro em espécie.

Eu não acreditei nessa informação e quebrei a cara. Basicamente: não tem onde sacar lá e as taxas do cartão são bem altas: além dos 6,38% de IOF do Brasil, também há uma taxa de 10% do Banco Central do Paraguai. Mesmo que uma loja diga que não cobra essa taxa, estará mentindo para você, a taxa é automática quando você passa o cartão.

Vale dizer que alguns vendedores têm uma máquina de cartão brasileira (encontrei só um, que vendia capinhas de celular).

  • Pergunte sobre a cotação do dólar na loja

Uma das perguntas que você deve fazer quando estiver pesquisando preços é sobre a cotação do dólar na loja (se você não estiver levando dólares para fazer as compras, obviamente).

A diferença de cotação do dólar pode fazer a diferença no preço final do produto em reais, então o jeito é pesquisar e perguntar em diferentes lugares.

  • Negocie os valores dos produtos

Mesmo nos shoppings grandes, não aceite o primeiro valor informado pelos vendedores.

É necessário negociar e dizer que outra loja ofereceu um valor abaixo. Na maioria das vezes, o primeiro valor que o vendedor te passar será mais alto do que o produto realmente custa, e por isso é tão importante pesquisar os preços na internet antes.

  • Pegue os folhetos que te entregam na entrada do país

Essa dica é bem interessante: nos folhetos que são entregues para você na entrada do Paraguai há promoções especiais que só são ativadas se você apresentar o folheto na hora da compra! Foi assim que consegui comprar o celular com um bom desconto.

Cuidados na hora de fazer compras no Paraguai

Para evitar cair em golpes, verifique o produto escolhido e comprado ainda no balcão de vendas. Não aceite sair da loja sem abrir e testar o que comprou: inclusive, existe um balcão nas lojas só para isso!

Também exija nota fiscal no seu nome e com o nome da loja impresso. Isso já é pratica comum das lojas mais confiáveis, mas não custa conferir.

No mais, desconfie de produtos com preço muito abaixo da média. Enormes são as chances de ser um produto falsificado ou inexistente. Um golpe comum é o vendedor oferecer algo por um preço fantástico e quando você pede para ver, ele te enrola e enrola, para no final te empurrar (depois que você já pagou) alguma coisa genérica.

Além disso, sempre tome cuidado com seus pertences e não dê bobeira nas ruas, com um monte de sacolas nas mãos. Só compre dos vendedores ambulantes se seu objetivo for achar produtos sem grande valor, não importa o quanto eles garantam que a mercadoria é original.

Centro_Ciudad_del_Este_Paraguai_compras

Regras da alfândega: quais são os limites de compras no Paraguai

Desde janeiro de 2020 há novas regras alfandegárias para brasileiros que fazem compras no Paraguai. O limite de compras por via aérea e terrestre agora é o mesmo: US$ 500.

Existem alguns itens que são isentos do limite de compras. É aqui que a Receita Federal chama de “bens de uso ou consumo pessoal”, o que inclui celular, câmera e relógio de pulso. Detalhe: só é considerado uso pessoal um produto por pessoa, fora da caixa e que seja compatível com as circunstâncias da viagem.

Todos os demais bens adquiridos estão sujeitos a tributação.

Passou do limite de US$ 500? Você deve fazer uma Declaração Eletrônica de Bens do Viajante. Será cobrado 50% em impostos do valor excedente. Ou seja, se você comprou U$ 600, então há um excedente de US$ 100, por isso terá que pagar US$ 50 em impostos, totalizando US$ 650 pelas compras, tudo devidamente legalizado.

E lembre-se que essa regra é por mês. Por isso, nada de fazer compras dois dias seguidos para tentar driblar a lei. Mais uma prova de que é preciso pensar muito antes de comprar, caso contrário você pode ter uma surpresa desagradável quando voltar ao Brasil.

Vale lembrar também que até para a cota de US$ 500 existem regras: você só pode comprar itens de caráter pessoal, nunca comercial. Ainda, há limites quantitativos:

  • Bebidas alcoólicas – 12 litros no total
  • Cigarros de fabricação estrangeira – 10 maços, no total, contendo cada um 20 unidades
  • Charutos ou cigarrilhas – 25 unidades no total
  • Fumo – 250 gramas no total
  • Bens não relacionados acima – Inferiores a US$ 5,00: até 20 unidades, no máximo 10 idênticos

Ainda, é obrigatório declarar bens que não são considerados “bagagem”, como qualquer veículo automotor ou suas peças; e dinheiro em espécie (nacional ou estrangeiro) que ultrapasse 10 mil reais.

Você também não pode comprar produtos de importação proibida, sob risco de ir preso. Veja aqui a lista completa de proibições, que vai de medicamentos a armas de fogo.

Salto del Guairá: outra cidade de compras no Paraguai

Além da fronteira com Foz do Iguaçu, o Brasil também faz fronteira com Salto del Guairá, lá no Mato Grosso do Sul. Essa também é uma cidade sem taxas de aduana, de forma que funciona da mesma forma que Foz no quesito compras.

A cidade mais perto da fronteira é Guaíra no Paraná e o aeroporto mais perto é o de Cascavel.

Quais as vantagens e desvantagens de ir fazer compras em Salto del Guaira?

Em termos de vantagens, Salto del Guairá é bem menos cheio e bagunçado do que a Cidade do Leste. Ou seja, não tem confusão de camelôs e sacoleiros. Dá para entrar de carro tranquilamente e tem até como parar o veículo na rua.

Em Salto, há alguns shoppings grandes e excelentes para compras, como o Shopping China e o LG Importados.

A desvantagem é que essa não é uma região turística. Então, a não ser que você esteja indo visitar alguém nessa área (meu caso), ou for de lá, não faz muito sentido o deslocamento. A única coisa interessante será cruzar a ponte de 3 km sobre o Rio Paraná e imaginar que ali um dia existiu a maior cachoeira do mundo, o Salto das Sete Quedas.

Turismo em Foz do Iguaçu e arredores

Por fim, a dica mais importante para quem vai fazer compras no Paraguai é: não troque bons preços pela experiência de conhecer as Cataratas brasileiras e as quedas argentinas. Também não deixe de conhecer Puerto Iguazú por conta das compras. Isso seria um péssimo negócio.

Todas as dicas de viagem para Foz do Iguaçu:


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

269 comentários sobre o texto “Compras no Paraguai: lojas, imigração, alfândega e como economizar

  1. Vou pernoitar 4 dias em hotel de Ciudad d leste, chegarei proveniente de FOZ. O que preciso fazer na ponte/aduana paraguaia, em documentação?

    1. Em termos de imigração, Luiz? Só com RG em bom estado você passa. Mas pode levar passaporte também, se quiser.

      Se a dúvida é sobre os itens em circunstância de viagem, você vai ter que provar que ficou quatro dias no Paraguai. Aí leve a reserva de hotel, gastos no Paraguai e certifique-se se passar pela imigração na saída do Brasil e na entrada do Paraguai, para registrar isso.

      Abraço.

  2. E quanto a nossa própria bagagem? Suponhamos que eu cruzei a Ponte da Amizade com uma mochila nas costas, portando meu PC, telefone celular, algumas peças de roupa, camera fotográfica, remédios e outras coisinhas assim… Corro o risco de ser barrado no retorno e meus bens serem ´´confundidos´´ com produtos que adquiri na Ciudad del Este???
    Corro risco de ter meus bens confiscados ou ter que pagar multa ou qualquer coisa assim???

    1. Na teoria você tem que levar nota fiscal, Guilherme, justamente por causa disso. A alfândega costuma usar de bom senso também: computador velho, selo de produção do equipamento no Brasil (ou vistoria) servem de prova, mas o ideal é ter a nota.

      Abraço.

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.