fbpx

Estudar em Portugal: candidatura, visto, custos e moradia

Com todos os conhecimentos de quem já está há 5 anos no país, nesse texto eu conto para vocês detalhadamente o passo a passo sobre como estudar em Portugal. Esse texto é constantemente atualizado e tem todos os comentários respondidos! Aqui você encontra todas as explicações sobre estudar numa universidade portuguesa: se vale a pena, a escolha do curso, os processos seletivos, o valor das mensalidades, documentação necessária, visto e SEF, como conseguir moradia, como transferir dinheiro, possibilidades de trabalho, bolsas e muito mais.

Você pensa em morar em Portugal? Leia também o post que eu fiz sobre os tipos de visto e autorizações de residência para brasileiros que querem se aventurar na terrinha

Vale a pena estudar em Portugal?

Em setembro de 2014, eu larguei meu emprego de escritório para me dedicar ao 360meridianos e embarquei de mala e cuia para um mestrado na Universidade de Coimbra – que eu finalizei em 2016 e até recebi uma bolsa de mérito acadêmico!

Em primeiro lugar, acho que vale dizer que não fui eu quem escolheu Portugal, foi o destino que deu um empurrão nessa decisão. Eu tentei um outro mestrado que não deu certo, porque eu teria que pagar 14 mil euros de mensalidade. Triste por ter que desistir desse sonho, acabei descobrindo que o calendário de candidaturas em Portugal não segue a mesma lógica do resto da Europa: eles iniciam o processo de inscrições em abril e anunciariam em maio a primeira fase de candidatos aprovados (ainda existe uma segunda e terceira fases – ou seja, se você quer tentar estudar lá, pode tentar se inscrever até julho ou agosto). As aulas começam em setembro.

Saiba mais: Passagens aéreas com desconto para estudantes

Estudar em Portugal tem suas vantagens e desvantagens, como em qualquer lugar do mundo! Alguns cursos são de excelente qualidade, outros deixam um pouco a desejar. Como saber se você fará a escolha certa: lendo atentamente a ementa do curso no site da Universidade e buscando, em grupos de discussão online, experiências de pessoas que já estudaram naquela área que você tenha interesse.

o que fazer em coimbra baixa

Coimbra

Algumas coisas são gerais: para quem cursa licenciatura, é importante saber que são pouquíssimas as chances de conseguir um estágio remunerado (coisa que é muito comum no Brasil). Por outro lado, quem faz mestrado e doutorado verá a possibilidade de ter uma experiência um pouco mais prática do que acadêmica, isso pode ser bom ou ruim, depende dos seus objetivos e da forma como você mesmo encara seu percurso.

É importante ter em mente, no entanto, que alguns cursos de mestrado (os chamados mestrados de continuidade) funcionam como uma extensão do curso de graduação e acabam sendo muito básicos ou repetindo o que você já aprendeu na sua licenciatura. Fique atento a esse tipo de informação antes de se inscrever!

E claro, uma das grandes vantagens de estudar em Portugal é a facilidade (relativa) para conseguir uma autorização de residência na Europa.

A questão das mensalidades/propinas mais caras para brasileiros

Uma mudança de regras em Portugal fez com que o valor das mensalidades (os portugueses chamam de propinas) passasse a ser mais caras para estrangeiros. Ou seja, hoje um curso de mestrado pode custar uma média de 7 mil euros para brasileiros, enquanto a taxa para os portugueses – que é subsidiada pelo governo – fica em torno de €1100.

A polêmica começa porque existe um documento chamada “Estatuto de Igualdade de Direitos” (explico mais sobre como conseguir nesse post), que teoricamente dá a brasileiros os mesmos direitos que portugueses. No entanto, as universidades não aceitam isso e seguem cobrando a mensalidade mais cara.

A luz no fim do túnel? Algumas universidades, como as de Porto e Lisboa, oferecem alguns descontos para brasileiros, mas ainda assim, as propinas são mais caras do que para nacionais.

O que você precisa para estudar em Portugal e entrar numa Universidade Portuguesa

A resposta mais simples para essa pergunta é a seguinte: entre no site da Universidade, procure por “Estudar aqui” e também clique em “Estudantes Internacionais”. As universidades portuguesas dividem seus níveis de graduação em 1º, 2º e 3º ciclos.

É assim: 1º é a graduação normal – que eles chamam de licenciatura, 2º mestrado e 3º doutorado. Na parte “Estudar Aqui” você vai encontrar os links de todos os cursos que a universidade oferece. Uma vez dentro da página do curso você encontra as informações como ementa, duração, preço e como se candidatar. Na página dos “Estudantes Internacionais” você achará mais informações sobre os programas de mobilidade nessa universidade, além de informações sobre programas de bolsas que eles tenham parceria.

Dica: A questão é que esses sites são bem confusos e pode não ser tão fácil assim encontrar todas as informações que você procura. Minha experiência diz que está tudo no site, mas você vai ter que procurar com muito afinco para encontrar.

Vale lembrar que quem quer fazer graduação em Portugal pode usar o ENEM na candidatura, diretamente com a universidade.

Também há acordos entre universidades portuguesas e brasileiras para quem quer cursar só um semestre lá. Nesse caso, ao invés de se candidatar diretamente com a Universidade, você vai precisar procurar informações com esses programas primeiro. No site do Consulado Portugal em São Paulo há uma lista de instituições que oferecem bolsas de estudo para brasileiros em Portugal.

Estudar em Portugal Porto

Porto, Portugal

Leia também: Como é a vida de um estudante em Coimbra
Como é morar no Porto: experiência, custo de vida e aluguel

Como estudar em Portugal: a candidatura para mestrado e doutorado

Dá para fazer absolutamente toda a candidatura para estudar em Portugal via internet. Eu não precisei criar um projeto de pesquisa para me candidatar ao mestrado. No doutorado, entretanto, é necessário. Em geral (com algumas exceções), a candidatura para pós-graduação no exterior não exige isso. O que você vai precisar é para fazer um mestrado em Portugal:

  • Uma carta de motivação, explicando porque você quer fazer esse curso e como você vai contribuir para a Universidade enquanto estudante. Uma dica especial: os portugueses gostam de saber também seus méritos acadêmicos, então vale acrescentar notas boas em disciplinas específicas para incrementar a carta.
  • Todos os documentos relativos à sua vida profissional e acadêmica. No caso: currículo, diploma e histórico escolar.

E aqui vem a primeira dificuldade burocrática: todos os seus documentos oficiais brasileiros precisam ser legalizados.

Você tem que autenticar as assinaturas dos seus documentos em cartório – isso quer dizer que você tem que descobrir onde o reitor da sua universidade tem assinatura reconhecida e ir lá autenticar. No caso, eu também precisei autenticar a assinatura do secretário do colegiado que assinou meu histórico escolar. Ou seja, dois cartórios diferentes.

Serra-da-Estrela-Portugal-linhares

Linhares, Portugal

Depois da autenticação das assinaturas, você precisa ir apostilar os documentos. O que é esse tal de apostilamento? É uma espécie de autenticação internacional, feita por alguns cartórios brasileiros autorizados. Você leva o seu documento num deles, eles fazem o apostilamento e te entregam depois de alguns dias.

Duas dicas: Ligue antes no cartório para conferir se de fato eles estão fazendo o procedimento e aproveite a ligação para conferir se, por um acaso, seu reitor não tem firma reconhecida lá também. Assim, você evita mais viagens e perda de tempo!

Dentro do próprio sistema da universidade você envia todos os documentos, preenche seus dados e paga a taxa (a minha eu paguei via Paypal). Depois disso, é só esperar eles confirmarem o recebimento e depois aguardar o anúncio da aprovação ou reprovação.

Dica para quem tem cidadania europeia: Você pode se inscrever no mestrado e doutorado com os documentos europeus de identidade, mas apresentar os dados de estudo (diploma, histórico, etc) brasileiros.

Faculdade em Portugal: nota do ENEM e outras dicas

Quem quer fazer a graduação em Portugal pode se inscrever usando a nota do ENEM, nos exames realizados nos últimos 3 anos. O passo a passo para usar a nota do exame brasileiro está nos sites de cada universidade. Basicamente você precisa verificar se tem nota no ENEM para entrar no curso desejado e realizar a inscrição. Aqui está o passo a passo da Universidade de Coimbra e aqui as informações da Universidade do Porto.

Para quem tem cidadania portuguesa e quer pagar as mensalidades mais baratas, é necessário seguir outros procedimentos, tendo em vista que a nota do ENEM só pode ser utilizada para quem se inscreve como brasileiro. Nesse caso, você precisa verificar as regras para realizar o Exame Nacional Português: veja aqui mais informações na página do DGES. 

Existem algumas excessões as regras acima: pessoas maiores de 23 anos, ou que já vivam na União Europeia há mais de dois anos, ou que não tenham feito o ENEM podem tentar outras vias de ingresso, diretamente com cada universidade. Por exemplo, a UC tem o programa Ano Zero.

Fui aprovado, o que fazer?

Demora cerca de um mês para sair o resultado. Depois de ser aprovado, você pode fazer a matricula no seu curso também online e então passar a se preocupar com coisas como passagens aéreas, euros, visto, moradia, seguro de saúde…

Visto de estudante para Portugal

Brasileiros não precisam de visto de turista para Portugal, ou seja, se você for ficar lá até 90 dias, então é só levar o passaporte e pronto. Se você vai estudar lá, seja por seis meses ou dois anos, a coisa muda de figura e você precisa sim pedir um visto de residência temporária.

Muita gente fica com a ideia de arriscar vir sem visto (por causa de demora nos processos com consulados) e planejam se legalizar no SEF depois que estiverem aqui. Eu NÃO RECOMENDO isso, porque: 1. As companhias aéreas já não deixam mais você embarcar para Europa sem um voo de volta para daí a 90 dias se não tiver visto. 2. As marcações no SEF tem demorado MESES e com isso, você vai ficar ilegal e numa situação bastante precária, em termos de poder viajar, alugar apartamento e outras questões burocráticas.

Desde abril de 2019, você deve fazer a solicitação do visto através do site VSF Global. No caso de estudantes, o tipo de visto é o de residência.

No site, você verifica todos os documentos (também listados abaixo) e faz a entrega (pelo correios ou horário agendado) num dos centros de solicitações correspondente ao seu local de moradia. Ou seja, a solicitação não é mais a cargo do consulado.

  • Checklist do VSF (2 vias)
  • Formulário preenchido;
  • Passaporte Original válido por +3 meses após a data de regresso (O documentoficará retido com eles durante o período de análise)
  • Fotocópia do Passaporte (páginas biográfica e com carimbo)
  • 2 fotografias iguais, tipo 3/4, a cores e fundo liso, atualizadas e com boas condições de identificação do requerente;
  • Comprovante de residência do seu estado (original e fotocópia);
  • Seguro médico de viagem para todo o período (pode ser tanto a apólice da seguradora ou o documento gratuito do PB4: entenda a diferença);
  • Certificado de registo criminal, com menos de 90 dias, emitido pela Polícia Federal, também precisa imprimir a comprovação de autenticidade, que você tira na mesma página;
  • Requerimento para consulta do registo criminal português pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (não aplicável a menores de 16 anos)
  • Comprovativo de matricula na Universidade.
  • Comprovativo da existência de meios de subsistência (comprovativo de bolsa ou Declaração de rendimentos dos pais ou responsáveis)
  • Comprovante de pagamento das taxas do visto
  • Termo de consentimento

No meu caso, como sou autônoma e a comprovação da renda que recebo do blog era complicada no momento da inscrição, pedi para minha mãe assinar um Termo de Responsabilidade e anexei o comprovante do Imposto de Renda dela. Segue também o modelo do termo que usei:

Termo de responsabilidade

Eu, Fulana de Tal (sua mãe ou pai), estado civil, profissão, portador do Bilhete de Identidade n° XXXXXX, passaporte XXXXX, residente em cidade, estado, país, declaro, para os devidos e legais efeitos, que me responsabilizo pelos meios de subsistência – alojamento, alimentação e demais despesas necessárias durante a estada – de Seu Nome, de nacionalidade brasileira, portador do passaporte n°XXXXX, pelo período de realização do Nome do Curso e da Faculdade.

Local e data

Assinatura com firma reconhecida em cartório

Também é necessário pagar uma taxa, que vai ser referente ao período que você vai ficar lá. O tempo que demora para chegar o visto varia em cada consulado, mas dada a grande procura pode demorar bastante.

Seguro de saúde para estudar em Portugal

Para pedir o visto para Portugal você precisa ter um seguro de saúde que tenha cobertura de 30 mil euros. Você pode contratar uma seguradora privada ou pode utilizar o sistema público de saúde português, através de um acordo bilateral com o Brasil, que oferece esse serviço para brasileiros, chamado Certificado de Direito à Assistência Médica – CDAM, também conhecido como PB4. Para conseguir isso, você precisa ir até o posto do Ministério da Saúde da sua cidade levando comprovante de residência (original e cópia), comprovante de matrícula, passagem (só se já tiver comprado), carteira de identidade (original e cópia) e passaporte (original e cópia).

Lembre-se também de deixar uma procuração para que alguém da sua família possa renovar o documento para você.

estudar-em-portugal-Lisboa

Lisboa

Se você optar pelo sistema público (foi a minha escolha – e ao longo de 3 anos, sempre fui muito atendida quando precisei) não se esqueça que o PB4 só cobre saúde, não vale para coisas como perda de bagagem, roubo de eletrônicos, assim como só é válido em Portugal. O que isso quer dizer? Vale a pena contratar um seguro de viagem para a semana que você chegar de viagem e também será necessário comprar o seguro toda vez que você for viajar pela Europa (lembrando que precisa ser um seguro europeu, não pode ser nada contratado do Brasil).

Estudar em Portugal: Moradia

Quando eu me mudei para Portugal, em 2014, vim com a casa alugada a distância. Por um lado, foi bom chegar no país já sabendo onde eu iria morar por seis meses. Mas, ao mesmo tempo, fiquei presa por 6 meses num contrato que me impedia de procurar outros lugares melhores e mais baratos. Por muita gente ter essa necessidade de encontrar um lugar antes de sair do Brasil,  fizemos uma parceria com uma plataforma de aluguel de apartamento para estudantes, que verifica um a um os anúncios e reembolsa caso você não encontre o que dizia no anúncio. Eles oferecem desconto de 10% para nossos leitores no primeiro mês de aluguel! Legal né? Saiba mais!

Já escrevi um post explicando exatamente como você pode encontrar uma moradia em Portugal. Leia mais: Como alugar apartamento em Portugal

Após a chegada em Portugal: ida ao SEF

O visto que você tirar no Brasil tem duração de um ano no máximo. Logo, assim que você chegar em Portugal precisa fazer uma marcação no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). 

Faça a marcação por telefone 808 202 653 (fixo) ou 808 962 690 (móvel). É necessário ligar às 8h da manhã para conseguir. Existe uma promessa de um site para fazer essa marcação, mas ele ainda não existe.

No dia marcado, você precisa levar os seguintes documentos:

  • Passaporte ou outro documento de viagem válido
  • Visto de residência válido
  • Comprovativo dos meios de subsistência
  • Comprovativo de que dispõe de alojamento
  • Certidão de antecedentes criminais obtida no site da Polícia Federal
  • Comprovativo da matrícula em estabelecimento de ensino superior
  • Comprovativo do pagamento de propinas exigidas pelo estabelecimento de ensino superior
  • Seguro de saúde ou comprovativo em como se encontra abrangido pelo Serviço Nacional de Saúde (você usa o seu PB4 para se registrar num centro de saúde e leva esse registro ao SEF)

 Você também tem que ir às Finanças para conseguir o Número de Identificação Fiscal (NIF), para poder abrir conta no banco.

Afinal, quanto custa Estudar em Portugal?

Temos um post bem detalhado e atualizado sobre o custo médio de morar em Portugal. Infelizmente, com a popularidade do país, os valores tem subido vertiginosamente, especialmente nas grandes cidades.

O gasto médio mensal de um estudante em Portugal é de 600 euros nas cidades menores, como Coimbra e Braga; cerca de 800 euros no Porto e pode chegar a 1000 em Lisboa. Esses custos podem diminuir se você tiver alguém para dividir as contas.

Como fazer transferências de reais para euros – e vice versa

O método que eu tenho usado ultimamente é a Remessa Online, que cobra as menores taxas do mercado e o dinheiro cai na sua conta em Portugal em até um dia útil.

É possível pagar o seu curso no exterior de forma rápida, prática e segura. O melhor de tudo, economizando! A Remessa Online é o jeito mais rápido e barato de enviar dinheiro tanto para contas de pessoas físicas no exterior quanto para pagamentos de cursos exterior.

Dá para trabalhar e estudar? E bolsa de estudos?

Sim, é possível trabalhar em Portugal com o visto de estudante. Você vai precisar de uma autorização do SEF, que normalmente só a concede depois que você já tiver um contato de trabalho. Mas não conte em conseguir um emprego na sua área facilmente.

A maioria dos empregos é para restaurantes/bares, na área de turismo, telemarketing ou uber. Os salários costumam ser baixos, até porque, você terá que dedicar horas para estudar!

Existem algumas bolsas de estudo do governo português para estudantes de mestrado (consulte as candidaturas no site do DGES, e focada em estudantes de Doutorado, pela FCT (Fundação para Ciência e Tecnologia). Você também pode tentar alguma bolsa específica da universidade que for estudar ou de alguma fundação internacional. Escrevi sobre isso nesse post.

Você também vai para Portugal ou já mora aí? Compartilhe suas experiências e dúvidas com a gente!

*Nós somos afiliados do Transferwise, o que significa que ganhamos uma comissão se você clicar no link e completar a transferência. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda a manter os autores desse blog!

*Imagem Destacada: Coimbra. Crédito: Anabela Maximiliano – (CC BY 2.0)


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1.378 comentários sobre o texto “Estudar em Portugal: candidatura, visto, custos e moradia

  1. Oi, Luiza.
    Sou a Enoi.
    Gostaria de fazer um curso secundário não superior em Portugal, na área de tratamento corporal dor.
    Tenho Curso de Massagem Relaxante e Energizante.
    Só que pesquisei na Internet e não encontro Centros de Qualificação para essa área.
    Tenho 68 anos e será que existe idade máxima pra matrícula?
    Vc pode me ajudar?

    1. Oi Enoi,

      Desculpe, mas não conheço a área e não sei o que te sugerir. Mas não existe idade limite para matrícula não! Você pode estudar independente da idade

  2. Oi Luiza, parabéns pelo conteúdo!
    Me fala uma coisa, vc sabe se dá pra me candidatar à um Mestrado enviando a minha documentação da faculdade sem estar apostilada? E fazer isso só depois se eh for aceita?

    1. Oi Andréa,

      Então, essa é uma pergunta que vc precisa fazer à coordenação do curso que quer se candidatar. No meu caso, o único momento em que precisei apresentar todos os documentos apostilados foi na candidatura. Depois, na matricula, já não foram necessários.

  3. Luiza, parabéns pelas informações, me foram muito úteis, mas tenho uma dúvida. Busco fazer mestrado em Portugal e me interessei a concorrer com a bolsa de estudos. Acessei o site DGES e não conseguir localizar se beneficia tb brasileiros. Poderia me esclarecer essa dúvida? E quanto a concorrência para o mestrado de direito na universidade do Minho e para a bolsa, existe número de vagas? Obrigada

  4. Olá!
    Primeiramente, amei seu post, bem detalhado!
    Estou pesquisando algumas informações, mas não consigo ter a certeza absoluta. Se vc puder me ajudar, agradeço.
    Quero cursar Direito na Universidade de Lisboa, e já tenho a cidadania.Porém, fiquei com dúvida sobre o exame nacional de Portugal, pois não entendi, primeiro se candidata no DGES e solicita a senha, e assim já pode fazer esse processo on-line? E por fim, apenas ir para Portugal fazer a prova?

    1. Oi Bruna,

      Infelizmente, não sei te informar nada relativo ao exame nacional. Dei uma pesquisada e achei essas informações, mas imagino que já o tenha consultado: https://www.dges.gov.pt/pt/pagina/guia-geral-de-exames-2020 e https://www.dges.gov.pt/pt/pagina/substituicao-de-provas-de-ingresso-por-exames-estrangeiros

      Aparentemente, você poderia usar a nota do ENEM.(segundo link). De qualquer forma, minha sugestão é que entre em contato por email com o DGES. Na minha experiência, eles respondem relativamente rápido.

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.