fbpx

Guia para mulheres que querem viajar pela Índia

Apesar de exótica e bela, a Índia também pode ser um lugar bastante amedrontador para todos os tipos de viajantes. O lixo, a falta de higiene e a ameaça constante de se contrair alguma doença ou infecção já são suficientes para dissuadir boa parte das pessoas de visitarem o país. Se essa pessoa é uma mulher, então fica ainda mais complicado entrar nessa grande e fabulosa aventura. Desde que a gente começou a escrever sobre o subcontinente aqui no blog, já conversamos com dezenas de viajantes receosas.

Nos últimos tempos, quando casos de estupro brutais ocorridos na Índia viraram destaque na mídia internacional, vimos também aumentar a curiosidade das pessoas sobre a vida das mulheres que nasceram ou visitam aquelas bandas e a forte cultura patriarcal que ainda impera por lá. Por isso, criamos um guia prático para mulheres viajantes na Índia, com dicas e truques para que você possa aproveitar sua viagem em segurança.

Mulher indiana em Varanasi

Evite sair sozinha

Essa é a regra número um da viajante na Índia: evite sair sozinha, principalmente à noite. Isso pode ser bem irritante para as mais independentes, mas ter alguém de confiança para fazer companhia pode evitar centenas de problemas e situações tensas. A vida da mulher na Índia ainda é bastante restrita ao ambiente doméstico e elas raramente se aventuram pelas ruas sem a companhia de pais e maridos. Isso quer dizer que uma menina que caminha pelas ruas sem ninguém pode ser mal interpretada e atrair atenção indesejada.

Em algumas cidades maiores, como Nova Delhi e Mumbai, as coisas estão mudando e as mulheres adquirindo mais independência, mas não se engane: a repressão ainda é forte nesses lugares. O ideal é que você faça a viagem toda acompanhada de um homem e, ainda que ele for apenas seu amigo, diga sempre que vocês são casados ou que ele é seu irmão.

Se nenhum membro do gênero masculino estiver disposto a viajar com você, não precisa desistir. Ir com uma amiga também ajuda bastante se você seguir as próximas dicas. No entanto, depois de ter morado lá por seis meses, eu não recomendaria nenhuma mulher a viajar sozinha pela Índia.

Jodhpur, na Índia

Use roupas comportadas

Acho que essa dica é meio óbvia, mas não custa reforçar. Vista-se da forma mais discreta possível: use camisetas com manga, calças ao saias abaixo do joelho e evite decotes. Isso pode ser mais difícil do que você pensa. Quando eu estava em Calcutá, fazia um calor dos infernos e eu saí para o meu city tour de calça jeans. Eu passei mal e tive que ficar durante uns vinte minutos em frente a um ventilador gigante até ter forças para andar outra vez. Passei o resto dos dias na cidade dentro de casa porque minhas roupas estavam todas na lavanderia eu não tinha nada mais fresco para vestir.

Mas existem alternativas: se você for no verão, invista em saias longas e calças tipo “Aladdin”, disponíveis em qualquer feirinha indiana. Elas são largas, frescas e confortáveis, perfeitas para suportar o calor. Também é útil sempre ter um lenço dentro da bolsa, para poder cobrir mais seu ombro, decote ou cabeça caso você se sinta desconfortável em alguma situação. E não se engane! Não importa o quanto você se cubra, os indianos vão te encarar de qualquer jeito.

roupas para mulheres na Índia

Não fale com estranhos

Sabe aquela velha regra da sua mãe? Na Índia ela é muito importante. Eu entendo que muitas pessoas que viajam para países completamente diferentes ficam ansiosas para conhecer as pessoas locais, mas as ruas e lugares públicos indianos simplesmente não são os melhores lugares para fazer isso.

Se um homem for conversar com você no meio da rua (e você pode ter certeza de que eles vão), não dê papo. Pode ser que ele comece a te seguir ou insista na conversa. Peça educadamente para ele se retirar ou parar de andar atrás de você. Caso isso não funcione, parta para a ignorância mesmo: comece a gritar e ameace chamar a polícia. Não tenha medo de dar barraco! É sério. Se você puder ir rapidamente para perto de alguma autoridade ou entrar em algum lugar movimentado e seguro, como um shopping, faça. E tenha com você o número da polícia anotado.

Família em Jaisalmer, Índia

Você vai ter oportunidade de conversar com locais em outros momentos da sua viagem. Duas das pessoas que eu mais gostei de conhecer no meu intercâmbio eram homens indianos. Conheci outros nojentos e horríveis, mas nem todos são assim, claro!

As melhores conversas que tivemos foram com famílias que tinham curiosidade de saber de onde a gente era ou queriam que a gente tirasse foto com os filhos pequenos deles. Isso era bem legal. Mas por experiência própria, eu digo: se um cara aleatório (ou um grupo deles) puxa conversa com você do nada no meio da rua ou lugares públicos, na maioria absoluta dos casos ele não vai estar apenas curioso sobre a sua nacionalidade.

Mulheres na Índia: visite lugares muito turísticos

Lugares como Agra e o Rajastão são invadidos por turistas ocidentais todos os dias e as pessoas de lá já estão bem acostumadas com isso. Para você ter uma ideia, em Jaipur os vendedores sabiam até falar espanhol, o que não era tão bom já que eles entendiam tudo o que a gente falava achando que eles não estavam entendendo. Mas, por outro lado, o fato de você ter vindo do outro lado do planeta não impressiona nada, o que significa que você não vai chamar tanta atenção. Além disso, a economia desses lugares é movida pelo turismo, então eles querem que sua experiência seja ótima e que você ame a Índia.

A coisa é muito diferente quando você chega em uma cidade onde quase nenhum estrangeiro pisa. Em cinco minutos se forma um círculo de homens pessoas a sua volta, te observando como se você fosse um ET.

Palácio em Jaipur, Índia

Evite multidões com todas as suas forças

Multidões são insanas em qualquer lugar do mundo. Agora, imagina em um país onde uma multidão significa uma milhares de homens criados em uma sociedade super machista, você e mais umas três mulheres que deus sabe como foram parar ali. Fuja das aglomerações. Evite lugares cheios demais em qualquer situação. Eu estou falando muito sério.

Dependendo da época do ano em que você for, você pode querer participar de algumas celebrações que vão atrair muitas pessoas. Isso aconteceu com a gente no Holi, a festa da cores na qual as pessoas jogam tinta colorida umas nas outras. Nós acordamos cedo e fomos para a rua. Ainda estava bem vazio e tinham muitos pais com crianças. Nós brincamos com os indianos e foi muito divertido. Por volta do meio-dia, as ruas começaram a ficar mais cheias e os jovenzinhos bêbados saíram para brincar também. Foi aí que percebemos que era hora de voltamos para o hotel antes que a lembrança de um dia bom fosse estragada por algum incidente ruim.

Holi - O festival indiano das cores

Proteja-se nos transportes

Evite entrar em taxis, tuk-tuks ou transporte público desacompanhada. Se tiver que fazê-lo, peça o carro em uma coorporativa por telefone, anote o número da placa e o nome do motorista e deixe algum conhecido avisado. Nos trens urbanos e metrôs, sempre utilize o vagão reservado para mulheres.

Nos trens de viagem, compre sempre bilhetes para as classes 3AC ou superior. Se você for viajar durante à noite e seu trem não tiver cortina para te garantir privacidade, você pode improvisar uma com um lençol. Nos ônibus, sente-se do lado de uma mulher se for possível. Se não for, não dê papo para o cara do seu lado e reaja ao menor comportamento suspeito.

Trânsito Índia

Sobre as praias indianas

Eu estive no Kerala e em Goa e francamente não vejo motivo para alguém ir à uma praia na Índia. A Malásia e a Tailândia estão ali do lado e possuem praias muito mais bonitas, além de não terem o incoveniente de dezenas de homens tarados te engolindo com os olhos só porque eles nunca viram uma mulher de biquini. Sem falar que além de encarar descaradamente, eles fotografam, o que é mais ultrajante e repulsivo (sabe-se lá o que eles fazem com essas fotos).

Viajo ou compro uma bicicleta

Se ainda assim você quer ir, isso é escolha sua, mas eu não encararia outra vez o fato de tomar um banho de mar e não querer sair da água porque de repente têm 10 homens parados na areia olhando para você e esperando você sair de lá. Se algum dia, por alguma coincidência bizarra do destino eu voltar a pisar em uma praia na Índia vai ser só para sentar na areia (vestida) e ler um livro. O Oceano Índico tem lugares melhores para você pegar um bronzeado, acredite.

Vai viajar? O seguro de viagem é obrigatório em dezenas de países e indispensável nas férias. Não fique desprotegido na Índia. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício para o país – e com cupom de desconto.


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

273 comentários sobre o texto “Guia para mulheres que querem viajar pela Índia

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.