Mochilão no Leste Europeu: antiga Iugoslávia

Todas as cidades sugeridas nesse roteiro de mochilão pelo Leste Europeu eram parte da não mais existente Iugoslávia. Tenha em mente que nenhuma das cinco são megalópoles, formigueiros de turista ou badaladas. São centros urbanos sim, mas modestos e com mais características de cidade européia de médio e pequeno porte, sendo ar puro e mais silêncio para dormir praticamente garantidos.

Em relação à Croácia, as cidades aqui escolhidas não fazem parte da área super turística – o sul. Talvez com a exceção de Zadar, elas não estão no circuito usual de turismo por estrangeiros.

Leia mais: 12 dicas de viagem para o Leste Europeu
Roteiro de 10 ou 15 dias no Leste Europeu
Roteiros de mochilão de 30 dias no Leste Europeu
Roteiro de 20 dias pelos países Bálticos

Mochilão de 15 dias pela Antiga Iugoslávia

Belgrado, Zagreb, Zadar, Rijeka e Liubliana

Luis-Filipe-Gaspar-Belgrado-Servia

Belgrado, Sérvia. Crédito: Luis Filipe Gaspar CC BY-SA 4.0

Comece a viagem por Belgrado, capital da Sérvia. Adoro viajar para países europeus que não fazem parte da União Européia para ver como o outro lado da moeda vive. E isso é muito claro neste lugar, que até hoje sofre as consequências das sanções econômicas impostas em função da guerra da Iugoslávia, ocorrida na década de 1990. Mas nem tudo são lágrimas. Apesar de não serem foco de investimentos externos e afins, o país está melhorando aos poucos – e já melhorou muito nos últimos anos, segundo os orgulhosos locais com quem conversei. Três dias é o suficiente para conhecer os principais pontos turísticos. Fiquei num hostel muito bom chamado Indigo Hostel, cujo quarto privativo (além de barato) é bem separado dos outros cômodos. Ou seja, não se ouve o zunzunzun de pessoas entrando e saindo de madrugada. Temos um post sobre o que fazer em Belgrado, não deixe de conferir!

Zagreb Mochilão Leste Europeu

Zagreb, Croácia

Siga viagem para Zagreb, capital da Croácia, de ônibus ou trem. Muita gente, quando vai a este país, nem passa por seu centro político, por estar em busca de suas praias e belezas naturais. Mas a cidade tem muito a oferecer. Para começar, a cerveja de que mais gostei (na vida!) até hoje bebi lá, no pub Medvedgrad. Há quatro unidades dele na cidade e a comida também é muito boa. Fique três dias e deixe um para visitar o Parque Nacional Lagos de Plitvice (imagem destacada).

Zadar Croácia

Zadar, Croácia. Crédito: Böhringer – CC BY-SA 2.5

Vá para Zadar, também na Croácia, de ônibus. Fique três dias e tire um para fazer o passeio de barco que passa pelo Parque Nacional Kornati. Quando eu fui, fiquei no B&B Kolega Guest House e super indico. Sua localização é perfeita, é super limpo, o dono prestativo e de bom gosto para indicar restaurantes. Dos que ele sugeriu, gostei bastante do Konoba Stomorica (Stomorica ulica, 12) e do Bruschetta (Ulica Mihovila Pavlinovića, 12). Não deixe de andar pelo centro histórico: tinha hora que me sentia no set de Game of Thrones (#nerdisse). Também vá à praia Kolovare e ao Órgão do Mar.

Rijeka Croácia

Rijeka, Croácia

Continue a viagem de ônibus em direção a Rijeka, ainda na Croácia, e fique também três dias. Por ser uma cidade muito próxima à Itália e em função da história do lugar, muitos de seus habitantes falam italiano, o que pode vir a ser útil. A cidade é cheia de pequenas praias em sua costa. Dentre as que fui, gostei mais da Sablićevo e da Ploče, que tem uma ótima infraestrutura com café, lanchonete, piscina, banheiros e restaurantes. Planeje bem os dias para dar tempo de visitar a cidade Opatija e de subir os 561 degraus da escadaria que chega ao Castelo Trsat (uma das mais antigas fortificações da costa do país).

Liubliana Eslovênia

Liubliana. Foto: Petar Milošević – CC BY-SA 3.0

Por fim, vá de ônibus para Liubliana, capital da Eslovênia e dedique a ela pelo menos três dias. Fiquei no Adoc Hostel cuja localização é bem no centro da cidade (na parte em que carros não são permitidos). Esse hostel mais parecia um hotel mais simples, devido ao tamanho (é bem grande) e a sua grande quantidade de quartos privativos. Separe um dia inteiro para visitar a cidade de Bled e, uma vez lá, não deixe de visitar a ilha no meio do lago e a Garganta de Vintgar. Dos lugares de comer, lembro-me de ter amado dois: o Druga Violina (para almoçar e jantar) e o Cacao – um café super fofo e com tortas deliciosas.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Gabriela Dilly

Analista internacional mais interessada em experienciar outras culturas que em analisá-las. Escreve também no blog Dupla Trip.

  • 360 nas redes
  • Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

15 comentários sobre o texto “Mochilão no Leste Europeu: antiga Iugoslávia

  1. Oi Gabriela! Tudo bem? Adoro o blog de vcs, já fiz algumas viagens com o roteiro tal e qual e foi tudo perfeito! Super indico o blog pra todo mundo.
    Agora, eu gostaria de uma ajudinha, vou pra esses países em junho, sendo que a passagem mais barata está chegando do Rio de Janeiro pra Bucareste e de lá vou pra Belgrado, Bósnia, Eslovênia e Viena, não quero passar pela Croácia pq já conheço, mas estou tendo muita dificuldade de achar as empresas de ônibus que fazem esse trajeto, principalmente de Bucareste para Belgrado. Poderia me dar uma ajuda em relação as empresas de ônibus/trem que fazem esse percurso.
    Obrigada!

  2. Olá, li em um outro blog que algumas praias na Croácia são dificeis de mergulhar devido à temperatura da água e a estrutura da práia que é toda de pedras. Vocês tiveram em alguma praia com mais facilidade?
    Outra questão é sobre o custo, o que acharam em relação à outros países.
    Estamos programando 10 a 12 dias em junho, mas ainda não decidimos se iremos para Grécia ou Croácia. Estamos saindo da Itália e o custo será o voto de minerva, já que eu quero Croácia e meu marido Grécia.
    Obrogada!

  3. OLÁ, TD BEM? PRETENDO FAZER UMA VIAGEM À CROÁCIA ALUGANDO UM CARRO À PARTIR DE ZAGRED ATÉ DUBROVNIK, MAS IREI COM MINHA ESPOSA E MINHA FILHA DE 4 ANOS, VCS SABERIAM ME INFORMAR COMO FUNCIONA O TRANSPORTE DE CRIANÇAS NOS CARROS POR LÁ? PRECISA DE CADEIRINHA? AS LOCADORAS DE CARROS FORNECEM ESSE SERVIÇO? OUTRA COISA, POSSO CRUZAR A FRONTEIRA ATÉ MONTENEGRO COM O CARRO LOCADO NA CROÁCIA? DESCULPA TANTAS PERGUNTAS E PARABÉNS PELO SITE! OBRIGADO

  4. não acredito que não colocou Sarajevo na lista. além de ser o local onde melhor se misturavam as culturas iugoslavas, todo o histórico de guerras, além da vibe muçulmana no centro da cidade. INCLUAM SARAJEVO NA LISTA! 🙂

    1. Oi Andrea!

      Como o Fabricio, consegui me virar com o inglês também. Conversei com uma das meninas que trabalhava no hostel onde fiquei e ela disse que aprendeu inglês na escola (pública) e que pessoas da idade dela (por volta dos 20 e poucos) geralmente sabem falar a língua inglesa.

      Nos restaurantes, não tive dificuldade alguma também, em quase todos que fui havia cardápio em inglês ou o garçom sabia pelo menos o básico.

  5. Belgrado é uma cidade linda, mas eu não recomendo ir no inverno para quem tem problemas com o frio. Mas por outro lado, a neve deixa a cidade ainda mais bonita. Achei os sérvios meio “arredios” com turistas, especialmente os mais velhos. Os jovens são completamente diferentes, sempre mais abertos e receptivos. Ah, eles amam brasileiros.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.