Roteiros de mochilão de 30 dias no Leste Europeu

Quando se vai ao continente europeu pela primeira vez, o mais comum é escolher os países e cidades muito turísticas e conhecidas pelos brasileiros. Mas não foi assim comigo. Para começar, escolhi a Finlândia como primeiro destino do velho continente. Havia conseguido, através da Aiesec, uma oportunidade para morar por 8 meses lá, fazendo intercâmbio profissional.

Durante minhas viagens sempre dediquei boa parte do tempo aos países do Leste. Pensava: é mais fácil que eu volte para cá para visitar Espanha, Portugal, França que um país como a Lituânia. Havia, claro, outros motivos, como a arquitetura, a riqueza histórica e cultural, o fato de serem bem menos “atolados” de turistas e o relativo baixo custo.

Para ajudar aqueles que planejam turistar por lá, decidi fazer algumas sugestões de roteiros. Será uma série de quatro posts. Nesses roteiros, como perceberá, constam também algumas cidades que não são consideradas orientais. Dicas relacionadas a hospedagem, o que fazer lá e outras mais específicas sobre cidades que eu citar aqui estarão outros posts.

Leia mais: 12 dias práticas para organizar uma viagem pelo Leste Europeu

Roteiros de 20 dias pelos Bálticos

Antes de tudo, vale dizer que não existem voos diretos do Brasil para qualquer das capitais do Leste Europeu. Para chegar lá, há duas opções. A primeira delas é comprar aquelas passagens de conexões organizadas pelas próprias grandes companhias aéreas. Isso pode sair financeiramente aceitável, se houver alguma promoção. Empresas como KLM, TAP e Swiss Air, por exemplo, fazem conexões para várias cidades, dentre elas Praga, Budapeste, Bucareste, Kiev, São Petersburgo, Vilnius, Varsóvia, Zagreb e Belgrado. Outra opção é comprar sua passagem para qualquer destino dentro da Europa, de preferência na promoção, ou que tenha voo direto da sua cidade. E, depois, chegar até o lugar de destino através de alguma das várias lowcosts, de trem, ou de ônibus.

Se você quiser pesquisar qual a melhor forma de viajar (ônibus ou trem e até avião), dá uma olhada nesse post com dicas de como pesquisar qual forma de transporte mais barata na Europa.

30 dias de mochilão pelo Leste Europeu

Roteiro pela Antiga URSS (+Finlândia)

Praga (República Tcheca), Budapeste (Hungria), Cracóvia (Polônia), Vilnius (Lituânia), Riga (Letônia), Tallinn (Estônia), Helsinki (Finlândia) e São Petersburgo (Rússia)

Canal Griboyedov são petersburgo

São Petersburgo, Rússia

Todos esses países já pertenceram ou foram área de influência da Rússia em alguma época. No caso a Finlândia, apesar de não ter sido parte da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas,  foi de 1809 a 1917, um grão ducado do Império Russo. Depois dessa breve contextualização histórica, vamos falar da viagem:

Tanto faz começar por Praga ou São Petersburgo. Como gosto de deixar o melhor para o final, comecemos por Praga. Fique quatro noites na capital tcheca. Depois, siga viagem para Budapeste, de preferência de busão (a Eurolines é uma boa opção). Permaneça também quatro dias na capital Húngara e siga viagem para Cracóvia, segunda maior cidade da Polônia. Dedique quatro dias a tal cidade e não deixe de visitar Auschwitz.

Como o trecho Cracóvia-Vilnius não está especificado em outros posts, vale dizer que existe uma companhia de ônibus chamada Ecolinas que o faz, naquele esquema de virar o dia viajando. Outra opção é ir de trem, com troca de trens. Após chegar a Vilnius, fique duas ou três noites na cidade (que é bem pequena).

Siga de lá para Riga de ônibus e fique nesta por três dias. Da capital da Letônia, vá também de bus para Tallinn, linda cidade medieval e capital da Estônia. Fique pelo menos três dias e se hospede, de preferência, em algum lugar no centro histórico.

Helsinque Finlândia

Helsinque, Finlândia

Pegue uma balsa para Helsinque e dedique a esta pelo menos três noites. Não se esqueça que de todos os países este será o único que irá pesar no bolso, e muito! Mas vale a pena, pois nunca fui a qualquer país que se parecesse com a  Finlândia 🙂 Por fim, siga viagem para São Petersburgo, antigo centro político da época dos czares russos. Fique lá seis noites e não deixe de visitar pelo menos dois de seus vários palácios.

Roteiro pelo Império Austro-Húngaro e Ex-Iugoslávia

Cracóvia (Polônia), Praga (Rep. Tcheca), Viena (Áustria), Budapeste (Hungria), Belgrado (Sérvia), Zagreb (Croácia), Zadar (Croácia), Rijeka (Croácia) e Liubliana (Eslovênia)

Dicas de viagem para o Leste Europeu Croacia

Zadar, Croácia

Novamente, tanto faz por onde começar. Se quiser começar por lugares mais agitados e turísticos, comece pela Cracóvia. Caso contrário, se quiser iniciar viagem pela parte mais tranquila, escolha Liubliana. Eu optei pela “bombança”.

Fique quatro dias na Cracóvia e, de lá, siga para Praga. Para fazer tal trecho existem várias opções de trem e bus que viram a noite, ou trem+van. Ainda, se estiver com o espírito mochileiro encarnado: vá de ônibus até a cidade Cieszyn (e dê um role lá), cruze a ponte da cidade para o seu lado tcheco e pegue um trem para Praga. Fique na Capital Tcheca quatro dias e vá para Viena, Áustria. Não dedicaria muito tempo a esta cidade, e sim algo como dois dias, porque é uma cidade cara.

Dicas de viagem para o leste europeu Hungria

Budapeste, Hungria

De lá, siga para a cidade dividida ao meio pelo Danúbio: Budapeste. Fique nela cinco dias. Ou, se preferir, três em Viena e quatro na capital húngara. Para ir de Budapeste a Belgrado, use o ônibus – o trem demora horrores! Tenha em mente que em tal trecho haverá toda a burocracia que envolve entrar e sair de um país. Separe três dias para para Belgrado. De lá, siga viagem para Zagreb, capital da Croácia.

Na parte Sérvia o trem é bem lento, mas uma vez dentro da Croácia, passa a andar bem mais rápido. E nesse meio de caminho seu passaporte será carimbado de novo (yey!). Fique de dois a três dias em Zagreb. Ficaria três para aproveitar bem a comida e cervejas artesanais dos bares lá ou para ir no Parque Nacional Lagos de Plitvice. Vá para Zadar, que fica na parte costeira do país.

Fique também por três dias e siga para Rijeka, uma das maiores cidades do país. Finalmente, pegue um ônibus para a calma Liubliana, centro político da Eslovênia. Nesse três últimos dias, deixe um para ir a Bled e arredores.

Vai viajar? O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países da Europa e pode ser exigido na hora da imigração. Além disso, é importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício e garanta promoções.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Gabriela Dilly

Analista internacional mais interessada em experienciar outras culturas que em analisá-las. Escreve também no blog Dupla Trip.

  • 360 nas redes
  • Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

39 comentários sobre o texto “Roteiros de mochilão de 30 dias no Leste Europeu

  1. Olá Gabriela!!

    Você acha que compensa ir pra Lituânia, Letônia e Hungria em fevereiro? Dá pra aproveitar as cidades nesse mês (final do inverno)?

    =***

  2. Boa Noite Gabriela,

    Estou preparando minha primeira viagem para a Europa para outubro de 2017, onde escolhi montar a minha própria rota da cerveja.

    Saida de Vitória/ES no dia 10/10/2017
    Chegada em Praga no dia 11/10/2017, ficando por 06 dias, me dirigindo para Pinlsen
    Chegada em Pilsen no dia 17/11/2017, ficando por 04 dias, me dirigindo para Munique
    Chegando em Munique no dia 21/10/2017 e ficando por mais 04 dias.
    Voltando de Munique para Vitória no dia 25/10/2017.

    Pois bem, gostaria de alguns conselhos a respeito desse roteiro, ou se você me sugere alguma outra rota, LEMBRANDO QUE NÃO ABRO MÃO DE PRAGA E MUNIQUE, vale te esclarecer que não será um mochilão propriamente dito, pois não vou especificamente para conhecer somente pontos turísticos.

    Desde já agradeço.

  3. Oi Gabriela, td bem?
    Estava com a intenção de fazer uma viagem seguindo os seguintes roteiros:
    São Paulo
    Helsinque
    Tallin – São Petesburgo
    Riga
    Vilnius
    Varsóvia
    Cracóvia
    São Paulo
    Estava com a idéia de visitar essas cidades em 20 ou 25 dias.
    Vc acha que é um tempo suficiente?
    Em relação a gastos tenho pensado em tentar gastar até R$ 6.000
    Será que “apertando” o cinto, dá? rsrsrs
    Gostei muito do blog de Vocês…
    abs

  4. Oi, Gabriela! Tudo bem? Posso te pedir uma ajuda? Eu sonho em fazer um mochilão (na verdade queria morar fora, mas enqto não dá…) e essas são as cidades e lugares que eu gostaria de ir:

    Suíça:
    – Zurich
    – Berna
    – Interlaken (passar maior parte do dia em Latterbrunen e ir até trummelbach-falls e a tarde na Staubach falls.
    – Lucerna
    – Flims ( Lago Caumasse)

    Aústria:
    – Innsbruck
    – Vienna

    Batrislava
    – Eslováquia

    Hungria
    – Budapest

    Eslovênia
    – Maribor
    – Ljubliana
    – Bled ( Sotesko Vingtar, Gorje)
    – Grutas de Skocjan (Kras).

    Croácia:
    – Zagreb
    – Dubrovnik
    – Parque Nacional dos lagos de Plitvice.

    República Tcheca:
    – Praga.

    Você teria noção de qual seria o percurso mais racional a se fazer, qual melhor meio de locomoção entre percurso considerando um período de 25 a 30 dias no máximo para todo roteiro e o menor preço possível? Quantos dias você ficaria em cada lugar?

    Nunca viajei para fora o país, então, to muuuiito perdida 😀

    Desde já, te agradeço!

    1. Oi Marister, tudo bem?

      Acho q todos esses destinos em 25-30 dias ficaria corrido. É interessante que você escolha uma parte desse roteiro para fazer primeiro de acordo com suas prioridades (por exemplo, quais faz questão de ir primeiro, ou quais são mais em conta se for no esquema mais barato…). A partir daí, sabendo quais lugares vc de fato vai, fica mais fácil de definir quantos dias por cidade.

      Para fazer essa escolha, gosto de ler em blogs e sites roteiros e o que há para fazer, pois ajuda muito a ter uma noção de quantos dias ficar em uma cidade.

  5. Olá Gabriela, preciso da sua ajuda! Visitarei uma amiga em Minsk -,Bielorrússia e de lá queremos viajar um pouco. Temos um total de 27 dias pra viajar sendo que queria ficar pelo menos 5 dias em Minsk. Nosso plano inicial era pegar um ônibus até Warsaw, onde tenho hospedagem free, ficar lá por duas noites e seguir de ônibus pra Krakow. Meu plano era fugir da rota de guerra e focar mais na old town e visitar Zakopane, q é uma cidade montanhosa e o passeio dura um dia inteiro. No caso tava planejando 3 noites pra Krakow. Dps iríamos de ônibus até Budapeste ficar 4 noites. Queria deixar mais dias pra Moscow e St. Petersburg que são cidades maiores. Você acha q dá tempo ver tudo isso em só 27 dias? To quebrando cabeça e não consigo montar esse roteiro :~~

    1. Oi Fernanda!

      Espero que ainda esteja em tempo de respondê-la. Acho que dá para fazer sim! O negócio é achar os transportes entre as cidades e fazer em uma ordem que não matariam tanto tempo em deslocamento 🙂

    1. Olá Fernanda!

      Ahco que ficaria corrido. Talvez seja interessante fazê-lo tirando algumas cidades e deixando aquelas que queira conhecer mais 🙂

  6. Oi Gabriela! As dicas são excelentes! Obrigada por compartilhar!
    Você acha tranquilo esses roteiros viajando sozinha? Talvez tenha uma oportunidade única agora do princípio do ano de ir, mas os amigos estarão trabalhando e não quero deixar passar. Só que mulher viajando sozinha dá sempre um pouco mais de trabalho no quesito ‘pensar a segurança’. Qual a sua avaliação? Um abraço!

  7. Gabriela, acrescentei um dia na Cracóvia….estou um pouco insegura com a crise migratória…será que está complicado viajar pelo Leste Europeu????
    Valeu pela ajuda!!!!!

    1. Olá Tatiana,

      Siceramente, não estou muito atualizada quanto à crise na Europa, mas de modo geral esse tipo de crise não afeta o turismo nos grandes centros urbanos distantes das fronteiras. Pelo pouco que li, países do Leste Europeu que fazem parte da União Européia e que fazem fronteira com países que não fazem parte do bloco, como a Hungria e a Polônia, estão sendo porta de entrada de pessoas que tentam fugir da guerra. Como a Cracóvia está relativamente distante da fronteira entre Polônia e Ucrânia, acredito que não há problemas na cidade. Além disso, no site do Itamaraty não há informação especial sobre a Polônia como área de risco.

    1. Olá Lígia!

      Essa média de gesto inclui hospedagem, alimentação e turismo, mas novamente isso depende do perfil do viajante 🙂 Se ficar em quarto coletivo de hostel, comer em lugares mais baratos (ou cozinhar de vez em quando), e utilizar outras formas econômicas de ser turista, essa média de gasto por dia dá (e dependendo do lugar até sobra).

      Abraço!

  8. Olá galera do 360 Meridianos!!!!
    Adoro o blog e sempre leio e divulgo!
    Estou programando uma viagem pelo Leste Europeu e queria a opinião de vocês:
    Pretendemos chegar por Budapeste (vamos locar um carro) – ficamos 4 dias e seguimos para Bratislava ( 3 dias) com um bate e volta até Gyor.
    Depois Viena por 2 dias
    Cesky Krumlov por 1 dia
    Praga 4 dias
    Dresden 2 dias
    Breslávia 1 dia
    Cracóvia 2 dias
    Bardejov 1 dia
    Kosice 2 dias
    Budapeste 1 dia (apenas para devolver o carro e embarcar.
    Está muito corrido?

    1. Olá Tatiana, tudo bem?

      Não acredito que esteja corrido já que vocês farão a viagem de carro no próprio tempo, não dependendo de horário de ônibus e trem. De qualquer forma, mesmo não tendo ido em todas essas cidades, ficaria pelo menos mais um dia para a Cracóvia, pois não acredito q dois dias sejam o suficiente. Quando fui, fiquei 4 dias inteiros e foi exatamente o tempo suficiente para fazer tudo que queria: Auschwitz, Mina de Sal, free walking tour, andar pela cidade, bar e balada, o museu onde era a fábrica de Schindler, o castelo da cidade e alguns outros pontos turísticos.

  9. Oi Gabriela, Estou na Africa do sul e tenho 100 dias para viajar depois que eu terminar meu intercâmbio. Como é bastante tempo e muitas possibilidades acabo ficando meio perdido, e é difícil fazer um roteiro logisticamente legal.

    Quero muito fazer o leste europeu, acho que isso é ate o objetivo principal e estou reservando uns 30 – 35 dias para isso e seu roteiro será a base da viagem ;). Agora tem a europa ocidental no restante do tempo . Se pudesse me dar um sugestão por onde começar e por onde terminar considerando mais 50 dias na europa oriental (Alemanha, belgica, Inglaterra, Holanda) São as principais países que quero visitar o outros sou flexível.

    Parabéns, pelo trabalho facilitando a vida de muita gente nesse mundão.

  10. Gabriela,

    Li alguns posts seus sobre o trecho Budapeste – Belgrado, ir de trem ou ônibus, valores e etc. Em breve vou fazer esse trecho e estava para comprar a passagem de trem pela Rail Europe e agora me surgiram duas dúvidas:
    1- Vale a pena pegar o trem noturno e assim acabar dormindo no trem ao longo dessas 9 horas?
    2- Você comentou que comprou seu bilhete na estação pagando aproximadamente 15 euros, os trens estavam cheios, ou seja tinha bilhete sobrando, e o bilhete que você comprou era para uma viagem durante o dia?
    Obrigado

    1. Oi Renato!

      1 – Nunca peguei o trem noturno nesse trecho, mas conheci algumas pessoas que o fizeram. Como é noturno, acredito que é uma boa para quem quer economizar grana e tempo (já que é um dia a menos pagando diária).

      2 – O trem não estava cheio, ou seja, tinha bilhete sobrando e sim, a viagem foi durante o dia.

      Quando pesquisei os preços pela internet desse trecho no site do Rail Europe achei muito caro e não condizente com os preços da região, então, às vezes vale a pena comprar na hora mesmo 😛

  11. Oi Gabriela, muito legal seu site! Gostaria de saber valores aproximados. Estou planejando um mochilão pelo leste europeu, inciando na grécia e vou subindo até berlin para depois amsterdan e voltar para o brasil.
    Qual a média de valores pelo Leste? Passar 30 dias apenas no leste, quanto gasto com passagens de trem, comida, hospedagem, afins… !? grata, lua

    1. Oi Lua,

      Eu estou fazendo mais ou menos esse trecho, da Grécia a República Tcheca. Meu gasto tem sido em média, de 30 a 40 euros por dia.

      Abraço

      1. Oi Lua!

        O gasto depende do perfil de quem viaja. Quando viajei sozinha pela região gastei a mesma média que a Luiza (30/40 euros por dia) e quando viajei com minha mãe gastei uns 20 euros a mais por dia por pessoa, pois o tipo de viagem foi outro.

        Abraço!

  12. Ola Gabriela !

    Primeiramente gostaria de parabenizar pelo post ! Me ajudou muito !
    Esse será meu primeiro mochilão. Minha idéia é dar uma voltar na Europa e terminar em Moscou, de lá pegaria a Transiberiana até Pequim !!

    Você tem alguma sugestão de roteiro ??

    Muito Obrigado !!!

    1. Olá Ollavo!

      Estamos aqui para isso 🙂 Que bom que o blog está sendo útil para seu planejamento!

      Morro de vontade de fazer um roteiro desse tipo que inclui o trem transiberiano!!! haha

      Mas então, a sugestão de roteiro depende muito de onde vc já foi na Europa. Se você já tiver ido nos usuais países ocidentais, faria o roteiro mais ou menos assim: começaria pela parte mais ao sul do Leste europeu (ou pelo menos a parte central, depende do tempo disponível que você tem) e seguiria subindo até chegar nos países do mar Báltino (Lituânia, Letônia e Estônia). De lá, seguiria viagem para St. Petersburgo (pelo menos 5 dias inteiros) e depois Moscou, e de lá o trem para a china.

      Dá uma olhada nos outros posts que fiz sobre o Leste Europeu de dicas e roteiros que ajuda tb 🙂

  13. Olá Gabriela! Moro em Zagreb e sugiro ao invés de Rijeka (fala-se rieka) ir para Pula (ou os dois se possível), pois Rijeka é uma cidade industrial e as praias boas e limpas são difíceis de achar lá.

    Já fiz o roteiro Zagreb – Berlim – Praga – Bratislava – Budapeste – Ljubljana – Zagreb, e sugiro, foi uma viagem muito interessante 🙂

    Beijos!

    Nathália

    1. Olá Nathália!

      Muito obrigada pelas dicas!

      Não tive dificuldades para encontrar praias limpas em Rijeka (inclusive fui em praias Blue Flag na região), mas é sempre bom receber novas dicas 🙂

    1. Oi Raquel!

      Está nos planos fazer posts relacionados a turismo em Helsinki, mas não sobre o intercâmbio em si. Se quiser algum tipo de informação específica sobre o intercâmbio, pode perguntar por aqui que respondo com prazer 🙂

    1. Olá Irlene,

      Tudo depende muito de por quantos dias você planeja viajar, quais os seus gostos e o limite de quanto planeja gastar. O ideal é que você leia sobre os lugares que acha que pode te interessar para escolher os destinos de acordo com esses fatores. Para leitura, além deste post, vale a pena dar uma olhada nestes tb:

      https://www.360meridianos.com/2014/04/quanto-custa-um-mochilao-pela-europa.html

      https://www.360meridianos.com/2014/09/12-dicas-de-viagem-para-o-leste-europeu.html

      https://www.360meridianos.com/alemanha

      https://www.360meridianos.com/republica-tcheca

      Ao longo das próximas semanas sairão mais 3 posts com mais dicas de roteiros no leste europeu.

      Espero que tenha ajudado!

      1. Esse site é riquīssimo em informaçőes para planejar uma viagem. Fico aguardando ansiosamente pelos novos posts que a cada dia sāo incluīdos…Muito obrigada

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.