Mochilão no Leste Europeu: 4 roteiros prontos para usar

A região conhecida como Leste Europeu, apesar de recheada de países interessantes e baratos para se viajar, não tem a mesma diversidade de dicas que encontramos sobre os países da Europa ocidental. Mas como essa é uma região que a gente ama explorar, fizemos esse post com quatro sugestões de roteiro para quem planeja um mochilão pelo Leste Europeu.

Os roteiros pelo Leste Europeu de 20 a 30 dias, ou seja são para viagens mais longas. Mas você pode pegar trechos dessas viagens se tiver menos tempo, ou acrescentar outras cidades, que indicamos no final. Todos esse roteiros já foram testados por parte da nossa equipe e temos mais conteúdo sobre cada um dos países e cidades indicados, basta clicar nos links ao longo do texto para ver mais dicas de o que fazer, onde ficar e onde comer nesses lugares.

Leia também: 10 dias práticas para organizar uma viagem pelo Leste Europeu

Nesse texto do link acima, detalhamos melhor os custos e outras dicas sobre imigração, moedas, etc. Um mochilão de 30 dias pelo Leste Europeu, costuma custar uma média de 1000 a 1500 euros, no total.

castelo de buda budapeste hungria vista peste

Budapeste

Não se esqueça que o seguro de viagem é obrigatório para entrar em diversos países da Europa! Você pode conseguir seguro por menos de 10 reais por dia, e com desconto para os nossos leitores. Dá uma olhada nas ofertas abaixo:

Seguro Viagem: Europa
TA 40 Especial - Internacional TA 40 Especial - Internacional Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.200 R$ 12/dia*
Affinity 60 Mundo (exceto EUA) Affinity 60 Mundo (exceto EUA) Assistência médica USD 60.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 24/dia*
AC 50 *COM FRANQUIA (Exceto EUA) + TELEMEDICINA AC 50 *COM FRANQUIA (Exceto EUA) + TELEMEDICINA Assistência médica USD 50.000 Bagagem extraviada USD 600 (COMPLEMENTAR) R$ 11/dia*

4 roteiros mochilão pelo Leste Europeu

  • Roteiro pela Antiga URSS

Praga (República Tcheca), Bratislava (Eslováquia), Budapeste (Hungria), Cracóvia (Polônia), Varsóvia (Polônia) , Vilnius (Lituânia), Riga (Letônia), Tallinn (Estônia) e São Petersburgo (Rússia)

 

Todos esses países já pertenceram ou foram área de influência da Rússia em alguma época. Tanto faz começar por Praga ou São Petersburgo. Como gosto de deixar o melhor para o final, comecemos por Praga. Fique quatro noites na capital da República Tcheca. Passe uma dia e uma noite em Bratislava, capital da Eslováquia. Depois de aproveitar seu tempo por lá, siga viagem para Budapeste, onde recomendamos você ficar 3 dias inteiros

old town square praga república Tcheca

Old Town Square em Praga, vista do alto da torre

O trajeto entre as três cidades funciona bem de ônibus! Veja nossas dicas de como viajar de ônibus pela Europa e também como usar a Flixbus.

Próxima para é Cracóvia, segunda maior cidade da Polônia. Dedique quatro dias a tal cidade e não deixe de visitar Auschwitz e, se der tempo, visitar as minas de Sal de Wieliczka. Depois, siga para Varsóvia, aproveite um dia (ou dois) e é hora de seguir para os Bálticos. O trecho Varsóvia-Vilnius pode ser feito de ônibus noturno, pela companhia de ônibus chamada Ecolines, uma viagem de 8 horas. Após chegar a Vilnius, fique duas ou três noites na cidade.

praca-mercado-cracovia

Praça do Mercado de Cracóvia

Siga de lá para Riga de ônibus (pela Lux Express) e fique nesta por três dias. Da capital da Letônia, vá também de ônibus para Tallinn, linda cidade medieval e capital da Estônia. Fique pelo menos três dias! Por fim, siga viagem para São Petersburgo, antigo centro político da época dos czares russos. Fique lá seis noites e não deixe de visitar pelo menos dois de seus vários palácios.

São Petersburgo, Rússia

  • Roteiro pelo centro da Europa

Sofia, Plovdiv, Veliko Turnovo e Ruse (Bulgária), Bucareste, Brasov e Timisoara +bate-voltas Transilvânia (Romênia), Budapeste (Hungria), Bratislava (Eslováquia), Cesky Krumlov e Praga (República Tcheca)

Novamente, tanto faz por onde começar. Começando por Sofia, capital da Bulgária, recomendo 3 dias na cidade. De lá, siga para a surpreendente Plovdiv, onde você também pode ficar 3 dias para explorar seus 2 mil anos de história. Dessas duas cidades, são possíveis bate-voltas para mosteiros ortodoxos nas montanhas, que valem muito a pena. De Plovdiv você consegue pegar um ônibus para Veliko Tarnovo, a antiga capital da Bulgária, com uma bela fortaleza medieval. Fique um dia. De lá, você pode optar entre ficar algumas horas ou um dia inteiro em Ruse, uma cidade na beira do Rio Danúbio, que é parada obrigatória para conseguir seguir de van até a capital da Romênia.

sofia bulgária banhos públicos

Sofia, Bulgária no verão

Bucareste, na Romênia, rende fácil três dias de passeio. De lá, você pode seguir de trem ou ônibus Brasov, cidadezinha fofa no centro da Transilvânia. Essa será sua base para conhecer a região, então sugiro que você fique  6 dias Fique pelo menos 6 dias e escolha alguns bate-voltas, como: Bran (e o castelo do Drácula), Sinaia (e o castelo de Peles), Sighisoara, e Sibiu. Quem estiver de carro consegue explorar ainda mais essa região, indo a cantos mais remotos entre as montanhas. Se ainda tiver fôlego, siga para dois dias em Timisoara.

o que fazer em bucareste romenia destacada

Bucareste

De lá (ou de Brasov), pegue um trem noturno até Budapeste. A belíssima capital da Hungria merece pelo menos 3 dias inteiros de passeio. Depois disso, pegue um ônibus e passe um dia e uma noite em Bratislava, na Eslovênia. De lá, hora de conhecer uma cidade de conto de fadas: Cesky Krumlov. A Flixbus faz o trecho entre as cidades. Fique lá por dois ou três dias (caso queira conhecer a fábrica de cerveja de Budejovice, a Budviser Budvar). Por fim, siga para 4 dias inteiros em Praga.

Cesky Krumlov República Tcheca mochilao leste europeu

Anoitecer em Cesky Krumlov

Se você tiver mais dias, pode “sair” do leste e dar um pulinho em Viena, a impactante capital da Áustria. Outra parada possível para quem tem mais tempo é Belgrado, na Sérvia.

  • Mochilando pela Costa do Adriático

Zagreb, Zadar, Split, Hvar e Dubrovnik (Croácia), Mostar (Bósnia e Herzegovina), Budva e Baia de Kotor (Montenegro), Escodra, Tirana e Ksamil (Albânia)

Esse é um roteiro que alugar um carro é melhor opção de transporte, sem dúvidas! Caso você opte por essa opção, veja nossas dicas de como conseguir descontos no aluguel na Europa.  Porém, quem não gosta de dirigir consegue sim fazer tudo de transporte público, só é difícil planejar com antecedência e necessário se preparar para perrengues.

Comece esse roteiro na capital da Croácia, Zagreb. Dedique três dias para explorar essa cidade, seus bons restaurantes e bares de cerveja artesanal. De lá, você tem duas opções: ou segue para o Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, onde pode tanto fazer uma parada de um dia de passeio ou, se quiser ficar mais descansado, dormir lá uma noite.

Croacia mochilao leste europeu

Plivice, Croácia

Depois, siga para Zadar, famosa pelo Órgão do Mar e a Saudação ao Sol, duas atrações que brincam com as condições naturais da região. Fique dois dias, e siga para para Split, a segunda maior cidade da Croácia e uma mistura de balneário com museu a céu aberto, cuja atração mais importante é o Palácio de Diocleciano, imperador romano. Split você consegue fazer tranquilamente em um ou dois dias. Porém, dedique mais tempo (cerca de 4 dias) caso queira seguir para as ilhas paradisíacas e badaladas nessa região, sendo Hvar a mais famosa delas.

Dicas de viagem para o Leste Europeu Croacia

A parada seguinte é cruzando as fronteiras: bem vindo a Bósnia e Herzegovina! A linda cidade de Mostar é famosa por sua ponte de pedra cruzando um rio de águas claras. Minha sugestão que é você fique pelo menos dois dias e três noites por lá, assim consegue aproveitar a cidade e dar um pulinho nas Cachoeira de Kravica. No terceiro dia, siga viagem de volta para Croácia, em direção à famosa Dubrovnik.

mostar bosnia o que fazer

Mostar, Bósnia Herzegovina

Dubrovnik tem o centro histórico mais bonito da croácia e não é atoa que virou cenário de Game of Thrones, o que aumentou muito sua popularidade e também os preços! Dedique três dias.

O país seguinte é Montenegro, onde recomendo dois ou três dias em Budva, para explorar a cidade e seus arredores. Se tiver tempo, também pode conhecer a linda e preservada baia de Kotor, em dois dias. Depois, hora de cruzar as fronteiras novamente: você chegará ao lago de Escodra (ou Shkoder), e seu cenário lindo à beira do lago. Fique um dia e siga para Tirana, a capital da Albânia, que também merece dois dias para explorar.

budva montenegro balcas

Budva, Montenegro

De Tirana, são algumas horas de ônibus (ou carro) até Berat, a cidade das mil janelas. Em um dia dá para conhecer a região. De lá, é hora de explorar a Riviera Albanesa! Se você estiver de carro, pode ir descendo pelas cidades e praias que mais gostar. Se não dirigir, é melhor escolher um lugar só e aproveitar seus dias lá. Eu optei pela segunda opção e fiquei 4 dias em Ksamil, uma ilhota bem no sul da Albânia, com as águas mais claras que já vi na vida (foto abaixo).

ksamil praia riviera albanesa

  • Viagem pelo Interior dos Balcãs

Enquanto o roteiro anterior explorou a Costa, essa opção de mochilão pelo Leste Europeu foca mais no interior dos Balcãs. Também é uma viagem que demanda carro, principalmente para a parte do interior de Montenegro. Se você realmente não quiser dirigir, vou dar uma sugestão de rota alternativa.

Leia também: Como organizar uma viagem pelos Balcãs, dicas práticas

Comece a viagem em Liubliana, na Eslovênia. Fique pelo menos três dias, para garantir um bate-volta ao lago de Bled. De lá, siga de ônibus para Zagreb, capital da Croácia e fique outros três dias. De Zagreb para a capital da Sérvia Belgrado, você consegue ir de ônibus, trem noturno ou avião. Para Belgrado, uma cidade animada e linda, também são necessários três dias.

o que fazer em belgrado servia praca republica

Praça da República, Belgrado

De Belgrado para capital da Bósnia e Herzegovina também é possível fazer de ônibus. Sarajevo é mais uma das cidades rende três dias de passeio tranquilamente. Mas é a partir daqui que o roteiro vai mudar caso você esteja ou não de carro (ou tenha pegado um carro na Bósnia).

o que fazer em sarajevo bosnia ponte luiza

Ponte Latina, em Sarajevo

Para quem está dirigindo, é hora de cruzar as fronteiras para Montenegro, sendo a primeira parada no Parque Nacional de Durmitor, cuja referência é Žabljak, uma vila nas montanhas. Lá você encontrará montanhas, glaciares e gargantas de rio, com opções de passeios tanto para quem vai no verão, quanto no inverno. Fique na região pelo menos dois dias, ou muito mais se você amar o contato com a natureza, trilhas e aventuras. Dali, siga de carro para a costa, com uma parada estratégica para visitar o Monastério de Ostrog, construído numa caverna, no meio de um penhasco.

Quem não tem carro, tem duas opções: ou vai até de Sarajevo até a capital Podgorica, e de lá pega um ônibus até  Žabljak (2h30 de viagem); ou arrisca descobrir diretamente na rodoviária de Sarajevo se tem algum transporte para o parque de Montenegro. Para visitar o Mosteiro, o melhor jeito seria fazer um bate-volta a partir de Budva ou Podgorica: basta pegar o ônibus em direção a Niksic, avisar o motorista que quer descer no mosteiro. A parada está a 8 km de distância de Ostrog, então de lá ainda será necessário fazer uma bela caminhada ou pegar um táxi.

De qualquer forma, siga para Perast e Kotor, duas cidades históricas a beira do Mar Adriático. Dedique pelo menos 3 dias a essa região, ou acrescente mais alguns dias para visitar Budva também.

lago ohrid macedonia balcas

Lago de Ohrid, Macedônia

Siga para a região do lago Escodra, que fica bem dividido na fronteira entre Montenegro e Albânia. Passe uma dia ali, antes de seguir para Tirana, onde você pode explorar por dois dias. Daí, se não estiver de carro, aventure-se pelas vans albanesas em até chegar em Ohrid, na República da Macedônia. A cidade também fica a beira de um lago. Fique dois ou três dias relaxando por lá, e siga para a capital do país, Skopje. Eu não gostei muito da cidade, mas acredito que é preciso conhecer para formar uma opinião. Em um ou dois dias você consegue ver tudo, mas é de Skopje que você pode fazer um bate-volta fácil para Pristina, em Kosovo.


Compartilhe!



Com o 360meridianos, você encontra as melhores opções para planejar a sua viagem. Confie em quem já tem prática no assunto!

 

Reserve seu hotel com o melhor preço e alto conforto

 


Veja as melhores opções para seguros de viagem

 


Transfira dinheiro para o Brasil e exterior com menos taxas

 


Alugue veículos com praticidade e comodidade

 




Quer 70 páginas de dicas (DE GRAÇA!)
para planejar sua primeira viagem?




Luiza Antunes

Sou jornalista, tenho 30 anos e moro no Porto, Portugal, quando não estou viajando. Eu já larguei meu emprego três vezes para viajar e finalmente encontrei uma profissão que me permite "morar no aeroporto". Já tive casa em quatro países diferentes, dei a volta ao mundo e cumpri minha meta de visitar 30 países antes dos 30. Mas o mundo é muito maior e, se puder, quero conhecer cada canto dele e inspirar vocês a fazer o mesmo. Siga @afluiza no Instagram

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

41 comentários sobre o texto “Mochilão no Leste Europeu: 4 roteiros prontos para usar

  1. Olá, tenho muito interesse em fazer o roteiro pela Costa do Adriático, mas o que mais tenho receio é em relação à língua. Vocês conhecem algum guia? Ou nesses Países consigo me virar apenas com espanhol? Outra dúvida é: qual o melhor período para curtir as praias.
    Grata,

    1. Oi Fernanda,

      Dá para se virar em inglês, em espanhol acho que é mais complicado. A melhor época para curtir as praias seria de junho a setembro.

  2. Olá Gabriela!!

    Você acha que compensa ir pra Lituânia, Letônia e Hungria em fevereiro? Dá pra aproveitar as cidades nesse mês (final do inverno)?

    =***

  3. Boa Noite Gabriela,

    Estou preparando minha primeira viagem para a Europa para outubro de 2017, onde escolhi montar a minha própria rota da cerveja.

    Saida de Vitória/ES no dia 10/10/2017
    Chegada em Praga no dia 11/10/2017, ficando por 06 dias, me dirigindo para Pinlsen
    Chegada em Pilsen no dia 17/11/2017, ficando por 04 dias, me dirigindo para Munique
    Chegando em Munique no dia 21/10/2017 e ficando por mais 04 dias.
    Voltando de Munique para Vitória no dia 25/10/2017.

    Pois bem, gostaria de alguns conselhos a respeito desse roteiro, ou se você me sugere alguma outra rota, LEMBRANDO QUE NÃO ABRO MÃO DE PRAGA E MUNIQUE, vale te esclarecer que não será um mochilão propriamente dito, pois não vou especificamente para conhecer somente pontos turísticos.

    Desde já agradeço.

  4. Oi Gabriela, td bem?
    Estava com a intenção de fazer uma viagem seguindo os seguintes roteiros:
    São Paulo
    Helsinque
    Tallin – São Petesburgo
    Riga
    Vilnius
    Varsóvia
    Cracóvia
    São Paulo
    Estava com a idéia de visitar essas cidades em 20 ou 25 dias.
    Vc acha que é um tempo suficiente?
    Em relação a gastos tenho pensado em tentar gastar até R$ 6.000
    Será que “apertando” o cinto, dá? rsrsrs
    Gostei muito do blog de Vocês…
    abs

  5. Oi, Gabriela! Tudo bem? Posso te pedir uma ajuda? Eu sonho em fazer um mochilão (na verdade queria morar fora, mas enqto não dá…) e essas são as cidades e lugares que eu gostaria de ir:

    Suíça:
    – Zurich
    – Berna
    – Interlaken (passar maior parte do dia em Latterbrunen e ir até trummelbach-falls e a tarde na Staubach falls.
    – Lucerna
    – Flims ( Lago Caumasse)

    Aústria:
    – Innsbruck
    – Vienna

    Batrislava
    – Eslováquia

    Hungria
    – Budapest

    Eslovênia
    – Maribor
    – Ljubliana
    – Bled ( Sotesko Vingtar, Gorje)
    – Grutas de Skocjan (Kras).

    Croácia:
    – Zagreb
    – Dubrovnik
    – Parque Nacional dos lagos de Plitvice.

    República Tcheca:
    – Praga.

    Você teria noção de qual seria o percurso mais racional a se fazer, qual melhor meio de locomoção entre percurso considerando um período de 25 a 30 dias no máximo para todo roteiro e o menor preço possível? Quantos dias você ficaria em cada lugar?

    Nunca viajei para fora o país, então, to muuuiito perdida 😀

    Desde já, te agradeço!

    1. Oi Marister, tudo bem?

      Acho q todos esses destinos em 25-30 dias ficaria corrido. É interessante que você escolha uma parte desse roteiro para fazer primeiro de acordo com suas prioridades (por exemplo, quais faz questão de ir primeiro, ou quais são mais em conta se for no esquema mais barato…). A partir daí, sabendo quais lugares vc de fato vai, fica mais fácil de definir quantos dias por cidade.

      Para fazer essa escolha, gosto de ler em blogs e sites roteiros e o que há para fazer, pois ajuda muito a ter uma noção de quantos dias ficar em uma cidade.

  6. Olá Gabriela, preciso da sua ajuda! Visitarei uma amiga em Minsk -,Bielorrússia e de lá queremos viajar um pouco. Temos um total de 27 dias pra viajar sendo que queria ficar pelo menos 5 dias em Minsk. Nosso plano inicial era pegar um ônibus até Warsaw, onde tenho hospedagem free, ficar lá por duas noites e seguir de ônibus pra Krakow. Meu plano era fugir da rota de guerra e focar mais na old town e visitar Zakopane, q é uma cidade montanhosa e o passeio dura um dia inteiro. No caso tava planejando 3 noites pra Krakow. Dps iríamos de ônibus até Budapeste ficar 4 noites. Queria deixar mais dias pra Moscow e St. Petersburg que são cidades maiores. Você acha q dá tempo ver tudo isso em só 27 dias? To quebrando cabeça e não consigo montar esse roteiro :~~

    1. Oi Fernanda!

      Espero que ainda esteja em tempo de respondê-la. Acho que dá para fazer sim! O negócio é achar os transportes entre as cidades e fazer em uma ordem que não matariam tanto tempo em deslocamento 🙂

    1. Olá Fernanda!

      Ahco que ficaria corrido. Talvez seja interessante fazê-lo tirando algumas cidades e deixando aquelas que queira conhecer mais 🙂

  7. Oi Gabriela! As dicas são excelentes! Obrigada por compartilhar!
    Você acha tranquilo esses roteiros viajando sozinha? Talvez tenha uma oportunidade única agora do princípio do ano de ir, mas os amigos estarão trabalhando e não quero deixar passar. Só que mulher viajando sozinha dá sempre um pouco mais de trabalho no quesito ‘pensar a segurança’. Qual a sua avaliação? Um abraço!

  8. Gabriela, acrescentei um dia na Cracóvia….estou um pouco insegura com a crise migratória…será que está complicado viajar pelo Leste Europeu????
    Valeu pela ajuda!!!!!

    1. Olá Tatiana,

      Siceramente, não estou muito atualizada quanto à crise na Europa, mas de modo geral esse tipo de crise não afeta o turismo nos grandes centros urbanos distantes das fronteiras. Pelo pouco que li, países do Leste Europeu que fazem parte da União Européia e que fazem fronteira com países que não fazem parte do bloco, como a Hungria e a Polônia, estão sendo porta de entrada de pessoas que tentam fugir da guerra. Como a Cracóvia está relativamente distante da fronteira entre Polônia e Ucrânia, acredito que não há problemas na cidade. Além disso, no site do Itamaraty não há informação especial sobre a Polônia como área de risco.

    1. Olá Lígia!

      Essa média de gesto inclui hospedagem, alimentação e turismo, mas novamente isso depende do perfil do viajante 🙂 Se ficar em quarto coletivo de hostel, comer em lugares mais baratos (ou cozinhar de vez em quando), e utilizar outras formas econômicas de ser turista, essa média de gasto por dia dá (e dependendo do lugar até sobra).

      Abraço!

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.