Tags:
Atlas: Santiago, Chile

Como planejar sua viagem para Santiago do Chile

Não há dúvidas: depois de Buenos Aires, Santiago é a cidade latino-americana favorita do turista brasileiro, pelo menos quando o assunto é viagens ao exterior. Organizada, relativamente limpa, com ótima rede de transporte público, cheia de atrações e até mesmo barata – essa é a capital chilena, que só por isso já reúne atributos para fazer parte das férias de muita gente.

Mas Santiago tem mais. Tem neve! Pronto: tá aí o motivo pro viajante brasileiro pirar. Sonha em conhecer Santiago, Chile,  neve, tudo de uma vez? Veja o nosso índice de posts com tudo que já escrevemos sobre a cidade e região. Os artigos incluem dicas para cidades ao redor, como Valparaíso e Viña del Mar, além de um guia com tudo que você precisa saber antes de esquiar pela primeira vez. No mais,  boa viagem!

Viajar para o Chile: antes de sair de casa

Com mais de 6,5 milhões de habitantes em sua região metropolitana, Santiago é uma das maiores metrópoles latino-americanas. Então espere encontrar exatamente isso: pessoas em sua vida corrida, alguns problemas estruturais aqui e ali, muita história, museus, arte e vida urbana. Moderna e charmosa, tem opções para todos os gostos e bolsos.

Plaza de Armas de Santiago do Chile

Com quatro estações bem definidas, Santiago pode ser visitada em qualquer época do ano. A temperatura média anual é de 14ºC, culpa do inverno andino que presenteia os brasileiros com a possiblidade de tirar o casaco do armário e curtir a neve nas estações de esqui mais próximas. Mas não se engane: o verão é quente e com dias longos. A estação chuvosa vai de maio a setembro. No resto do ano, predomina o tempo seco.

Brasileiros não precisam de visto para viajar para o Chile e podem entrar no país portando apenas o RG em bom estado (recomenda-se que a data de emissão tenha menos de 10 anos). O custo de vida ali é parecido ao de São Paulo. Por isso espere gastar entre 50 e 100 dólares por dia, dependendo do seu nível de economia e do tipo de atividade que você pretende fazer.

Saiba mais:
Vale a pena viajar para o Chile no verão?
Onde ficar em Santiago: os melhores bairros
Dicas de hotéis em Santiago
Aeroporto de Santiago: como chegar ao centro

Santiago: dicas de viagem para metrópole chilena

As principais atrações no centro de Santiago são históricas e culturais. Destaque para os muitos museus que se espalham pela cidade, a maior parte com entrada gratuita desde 2016, graças a uma iniciativa de fomento a cultura do governo chileno. O mais imperdível deles é o Museu da Memória e dos Direitos Humanos, que resgata os horrores da ditadura chilena e de outros países da América Latina.

Museu Nacional de Direitos Humanos em Santiago, Chile

Museu da Memória e dos Direitos Humanos em Santiago: passeio imperdível

Santiago conta ainda com diversos cerros dos quais, em dias claros e sem a nuvem de poluição que cria um véu cinza sobre a cidade, é possível ter vistas deslumbrantes dos Andes. As ruas do bairro Bella Vista são repletas de painéis de arte de rua e, claro, muitos bares para cair na cumbia até altas horas.

Saiba mais:
Museus gratuitos para visitar em Santiago
Pontos turísticos e o que fazer lá
Visita ao Cerro San Cristóbal
A história da ditadura chilena em Santiago
Onde comer e beber em Santiago
Concha Y Toro: uma das vinícolas de Santiago
Visita às casas de Pablo Neruda (Santiago e região)

Esquiar no Chile: o que você precisa saber

É fato: a maioria dos brasileiros que desembarcam no Chile só querem saber de neve. Ao lado de Bariloche, na Argentina, as montanhas andinas que circulam Santiago são a porta de entrada nos brazucas para o mundo do esqui, dos bonecos e das guerras de bolas de neve.

O Valle Nevado pode ser a estação de esqui mais famosa da região, mas está longe de ser a única. Farellones e Colorado também são boas opções para quem quer se jogar montanha abaixo. Ainda existem outras duas opções: La Parva e Portillo. Você pode alugar as roupas tanto nas próprias estações de esqui (mais caro), quanto em lojas especializadas em Santiago (um pouco mais barato). A temporada de neve costuma ir de 21 de junho a 23 de setembro, mas os melhor meses são julho e agosto.

Saiba mais:
O que você precisa saber antes de subir a montanha
Como esquiar no Valle Nevado, no Chile
Esquiar no Chile: El Colorado e outras histórias

Outras cidades ao redor da capital chilena

No Chile, como os chilenos. Qualquer santiaguino não desperdiça a oportunidade de descer para o litoral, que está a apenas uma hora dali, e passar um tempo no balneário de Viña del Mar e na eletrizante Valparaíso. O passeio pode ser feito num bate-volta, mas recomenda-se dormir pelo menos uma noite perto do mar, para aproveitar o agito da boêmia Ouro Preto chilena. Além dessas duas estrelas litorâneas, a rota do Pacífico é lindíssima e repleta de povoados de clima tranquilo e bucólico. Tanto que inspirou até mesmo os maiores poetas do país.

Valparaiso - Chile

Saiba mais:
Viña del Mar, o balneário do Chile
Valparaíso: casas coloridas e elevadores no Chile
Rota pelo Litoral dos Poetas Chilenos
Onde ficar em Valparaíso e Viña del Mar

Como é a gastronomia em Santiago, Chile

Chilenos: como vivem, de que se alimentam? A comida em Santiago é diversa e recebeu influência dos indígenas americanos, da Espanha e Itália e tem como base a batata e a carne, com um grande uso do milho e do feijão. No dia a dia corrido da metrópole, os mais pedidos são o completo (cachorro-quente) e o churrasco (sanduíche de carne).

Saiba mais:
Pisco peruano ou pisco chileno: pra mim tanto faz
Terremoto: a bebida chilena que te faz perder o chão
De sanduíche a pisco, comida chilena conquista pela diversidade

Não deixe de ler também

Vai explorar o resto do país? Não deixe de explorar outros posts já publicados por aqui.

Saiba mais:
Atlas 360: Chile
Chiloé: dicas e roteiro de viagem


Compartilhe!







Quer nosso kit de Planejamento de Viagens?
Contém um Ebook, tabelas de orçamento,
roteiro e check-list (DE GRAÇA!)




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.