O que fazer em Itacaré: melhores praias, trilhas e atrações

Há tanto o que fazer em Itacaré que muita gente se recusa a ir embora. Parte da população que chegou por causa das praias ficou. A vila, que tem cerca de 30 mil habitantes, já foi um paraíso perdido no sul da Bahia. Há alguns anos esse paraíso foi encontrado pelo turismo, que mudou algumas coisas, mas manteve o charme local.

Entre os locais, alguns dizem que Itacaré é um termo que em tupi significa “pedra que canta”, outros, “pedra bonita” e, ainda “jacaré de pedra”. Em português, a palavra virou sinônimo de picos de surf e esportes de aventura, que estão disponíveis aos montes por lá. Mas mesmo quem prefere dias num ritmo tranquilo e sem muitas aventuras encontra seu lugar por ali, para a indignação de quem chama Itacaré de capital da aventura no Brasil.

Mas o que faz Itacaré tão especial assim? Em primeiro lugar, o tipo de praia, que não é comum naquela região da Bahia. Saem as falésias, como as que existem em Trancoso, entram as praias onde a Mata Atlântica praticamente invade a areia. Em segundo, as ondas perfeitas que atraem surfistas e amantes do mar. E, claro, a atmosfera jovem, tranquila e descolada da cidade, que, apesar de pequena, é vibrante e tem sempre uma novidade pra contar.

Veja também: Onde ficar em Itacaré: dicas de praias, pousadas e hotéis

Como chegar em Itacaré

Dependendo de onde você estiver, dá pra pegar a estrada. Eu já fiz isso duas vezes, saindo de Minas e do Espírito Santo. A primeira vez foi de carro, a segunda de ônibus, fazendo uma parada em Porto Seguro no caminho, de onde há linhas diretas pra lá. Também há ônibus das principais cidades da Bahia, como Salvador e Lençóis.

Mas o mais prático, é claro, é pegar um voo até Ilhéus, que fica a apenas 70 quilômetros de Itacaré. Os voos para Ilhéus costumam fazer escala em Salvador, Guarulhos ou Galeão. Para fazer o trajeto entre as cidades, você pode combinar um transfer com antecedência ou arriscar um táxi na porta. Sai por cerca de R$ 160, mas se chorar com algum taxista de butuca no desembarque você consegue mais barato.

A alternativa mais barata é seguir para a rodoviária de táxi ou uber e de lá pegar um ônibus que sai de hora em hora e custa R$ 20, mas tenha em mente que o ônibus é daqueles pinga-pinga e o trajeto chega a demorar duas horas.

Praias de Itacaré - o que fazer

Onde ficar em Itacaré: dicas de hotéis e pousadas

Como a cidade não é grande, não tem muito segredo: ou a gente se hospeda perto da praia, ou fica no centrinho animado de Itacaré. Ambas as escolhas são excelentes e, abaixo, você encontra os prós e os contras de cada uma delas.

Parte das melhores pousadas de Itacaré fica nas imediações da Praia da Concha, um labirinto de ruas de terra de frente para o melhor banho da cidade. Dali, os turistas têm fácil acesso a tudo: do centrinho badalado às praias e restaurantes e até mesmo às baladas que rolam até tarde.

Por falar em centrinho e balada, é na região da Pituba que tudo se concentra. Para ser mais precisa, ao longo da rua Pedro Longo e nas ruas adjacentes, que acabaram por ganhar esse apelido para designar a parte mais turística da cidade. Há ainda algumas opções mais baratas na Praia da Coroa.

Veja algumas opções de hotéis e pousadas recomendadas em Itacaré:

  • Mar Ilha Pousada: Três estrelas com excelente café da manhã.
  • Pousada Abaré: Com piscina a 250 metros da praia. Oferece estacionamento e recepção 24h.
  • Pousada Burundanga: A 180 metros da praia. Tem piscina e um amplo jardim e serviço de massagem. Não aceita menores de 14 anos
  • Pousada Magia do Mar: Uma das pousadas mais gracinha da Pituba, fica a 600 metros da praia e está próxima a supermercados e todo tipo de comércio. Serve café da manhã, mas também conta com uma cozinha compartilhada.
  • Pousada Bicho Preguiça: Fica a 500 metros da Praia do Resende, em um ponto bem mais tranquilo da Pituba onde não há tantos bares ao redor, porém perto o suficiente para curtir a noite e voltar caminhando. Conta com piscina e café da manhã.
  • Pousada Lawrence: Pousada simples, porém confortável e com excelente localização, na rua logo atrás da Pedro Longo. Conta com um estacionamento e um jardim.

O que fazer em Itacaré: praias, atrações e aventura

As praias urbanas de Itacaré-BA

Itacaré é ponto de encontro de surfistas, que garantem que as ondas de lá são as melhores da Bahia. A cidade é palco de campeonatos de surf e atrai muita gente que tem no esporte um estilo de vida. Não é raro ver os corpos bronzeados circulando pela cidade com a prancha à tiracolo.

Eu, que não entendo nada de onda, só sei que as praias são bonitas e até é possível achar algumas do meu jeito: um piscinão praticamente sem ondas. A Praia da Concha, a mais próxima ao centro da cidade e que fica perto de um farol, é assim. Ao lado dela fica uma praia imprópria para banho e repleta de barcos, conhecida como Praia da Coroa.

Do outro lado da Praia da Coroa, fica o Pontal, uma faixa de areia encontrando rio com o mar. Do lado do Atlântico, a praia é completamente selvagem e bastante violenta, por isso não é aconselhável para banhistas. Do lado do rio há um quiosque descolado chamado Iemanjá, que oferece festas com DJs e fogueiras, camas, redes e drinks coloridos em uma estética MTV-De-Férias-com-o-Ex. Para chegar lá, basta abordar algum dos barqueiros na praia da Coroa, que fazem o trajeto por R$ 5 cada perna.

Iemanjá é o quiosque badalando que fica no Pontal de Itacaré

Iemanjá: o quiosque badalado no Pontal de Itacaré

As outras praias urbanas de Itacaré estão a uns 10 minutos de caminhada do centro e a cinco minutos uma da outra, por um trajeto que pode ser percorrido pela estrada ou pelas pedras que dividem a faixa de areia.

A primeira é a Praia do Resende, uma pequena praia que conta com alguns quiosques simples e muitos coqueiros. Logo na entrada, há a oferta de aulas de yoga em dias e horários específicos (cheque o cartaz se você se interessar). Apesar de algumas ondas boas para surfe, essa é uma das mais tranquilas de Itacaré, em especial na maré baixa, quando as piscinas naturais se formam no cantinho direito.

Já a Praia da Tiririca vem em seguida e tem ondas fortes e que chegam com grande frequência, a ponto de sediar algumas competições de surfe. Conta também com uma estrutura mais robusta de restaurantes e pousadas em seu entorno e é uma das praias mais visadas da região.

A seguinte é a Praia da Costa, responsável pelo maior número de afogamentos em Itacaré. Talvez por isso ela não conte com nenhuma estrutura de quiosques, mas tem uma equipe salva-vidas sempre a postos. É por todos esses motivos uma praia menos frequentada, mas pode ser uma boa pedida se o que você quer é ler um livro na areia, por exemplo. Se resolver se refrescar ali, fique bem na beiradinha e respeite a sinalização.

Praia da Costa - Itacaré

A última das praias urbanas de Itacaré é a Praia da Ribeira, uma praia mais ampla, considerada uma das mais bonitas entre as urbanas, na qual deságua um pequeno riacho que forma uma piscina natural de água doce. As ondas ali são relativamente tranquilas, indicadas para quem está começando a surfar. O local conta com muitos quiosques e restaurantes e uma tirolesa que faz parte de um circuito de arvorismo.

Da Praia da Ribeira começa a trilha para a Prainha, que fica a uns 40 minutos de caminhada dali. Mas o esforço vale a pena: é considerada o cartão-postal da cidade e já apareceu algumas vezes na lista das mais bonitas do Brasil. Por ali há apenas uma barraca bem rústica, mas que serve bebidas e alguns petiscos. Há também ducha e banheiros no local.

A trilha que leva até lá é de dificuldade moderada. Muita gente opta por fazer por conta própria, mas a recomendação local é que se contrate um guia. Se você optar por isso, faça com uma das agências locais disponíveis no centro da cidade. Evite contratar os que ficam oferecendo serviço na entrada da trilha, pois há relatos de problemas envolvendo esses guias.

No passado, havia também muitos relatos de assaltos nessa trilha, mas ao menos esse problema parece ter se resolvido. Ainda assim, a trilha não é demarcada e quase todo mundo que eu conheço acabou se perdendo e andando muito mais do que deveria para encontrar o caminho. Para evitar isso, use um aplicativo de trilhas, como o Wikiloc.

Praias rurais em Itacaré

São quatro praias rurais que estão um pouco afastadas da zona urbana da cidade, mas que são consideradas as melhores da região. Para chegar nelas é preciso pegar um carro. Você pode combinar um passeio guiado com as agências da cidade, que já inclui guia e a visita a todas elas. Também dá pra pegar um táxi na Praça dos Cachorros, no final da Pituba, e combinar o horário da volta: fica entre R$ 30 e R$ 50 cada perna.

As praias Engenhoca e Havaizinho estão acessíveis por meio de uma trilha que sai do Km 12 da BR-101, que liga Itacaré a Ilhéus. Há estacionamento no local.

A primeira delas é a Engenhoca, uma linda praia com extensa faixa de areia e cercada de Mata Atlântica. O local é um dos favoritos dos surfistas, mas o mar é bom pra banho, desde que respeitadas as orientações dos salva-vidas. Há também uma piscininha de água doce na foz de um pequeno rio que desemboca ao sul da praia. Há uma pequena estrutura de quiosques rústicos que servem bebidas e comida local.

Praia de Engenhoca, Itacaré

Praia de Engenhoca, uma das favoritas para visitar em Itacaré

Havaizinho e Camboinha vêm em seguida. São duas pequenas praias, muito bonitas, formadas por uma enseada e separadas por recifes. Assim como em Engenhoca, a estrutura ali é simples, mas bastante satisfatória. Não deixe de provar o peixe assado na folha de bananeira vendido na barraca do meio de Havaizinho.

Vista do mirante de Havaizinho - Itacaré

Vista do mirante de Havaizinho, antes de chegar à praia

A última das praias rurais é Itacarezinho, que de inho não tem nada. A Praia tem 3,5 km de extensão e é um prolongamento de Camboinhas, mas tem uma entrada com estacionamento próprio, pago, é uma sinalização específica para ele na estrada. É possível chegar até lá pelas praias, mas o caminho é mais desgastante. Descendo pelo estacionamento há um belo mirante com uma vista espetacular da região.

Em Itacarezinho só há um restaurante e os preços ali são bastante superfaturados.

Praias de Itacaré

Jeribucaçu e a Cachoeira da usina

Outro grande cartão-postal da cidade, a Praia de Jeribucaçu é a favorita de muita gente que visita a região. É acessível através de uma trilha de 30 minutos pela Mata Atlântica e contornando o Rio Jeribucaçu, que deságua na praia criando uma agradável piscina de água doce

A diferença é que aqui a trilha é super tranquila, basta seguir pela continuação da estrada caminho abaixo até encontrar as areias branquinhas da praia. A volta é morro acima, por isso prepare as canelas.

Quem preferir pode contratar passeio com agência no centro da cidade. O táxi até o começo da trilha custa R$ 50 cada perna. Não há sinal de telefone na praia, por isso é bom combinar o horário da volta.

Na praia há algumas barracas bem rústicas, uma vez que não há nem fornecimento de energia elétrica. Eles descem e sobem com as caixas de isopor, utensílios e lixo todos os dias. Mas servem um delicioso peixe assado no shoyo pescado ali mesmo. Se quiser provar a delícia, peça para que te mostrem o que tem disponível e combine um preço na hora. Você pode escolher pela manhã e combinar também o horário que vai querer comer.

Já para chegar à Cachoeira da Usina é preciso seguir por uma trilha que atravessa um manguezal e dura cerca de 15 minutos. A queda d’água forma uma agradável piscina natural pro caso de você estar cansado de água do mar.

Esportes de aventura

Além do surf, a aventura começa nas trilhas pela Mata Atlântica. Em algumas delas é possível encontrar cachoeiras. As várias agências de turismo que existem no centro da cidade oferecem as mais variadas aventuras: rafting, rapel, canoagem, trilhas guiadas, arvorismo, aulas de wakeboard, passeios off road… A lista não acaba aqui, e certamente você vai achar uma atividade para o seu nível de adrenalina.

Turismo de base comunitária em Itacaré

Uma forma diferente de conhecer a cidade e fugir da mesmice das praias é com passeios alternativos liderados por membros da comunidade. Embora ainda seja uma alternativa pouco explorada na cidade, há algumas iniciativas de turismo comunitário, com roteiros idealizados por moradores locais e que mostram de forma diferente a cultura e história da região, a gastronomia e, claro, as praias e as trilhas que tanto encantam os visitantes.

Depois de morar lá por 10 meses, uma das experiência mais marcantes que eu tive foi de passear de barco pelo Rio das Contas, assar um peixe na brasa, em uma fogueira na semana do São João e ver a lua cheia nascer gigante do Pontal. No caminho, ainda vimos golfinhos caçando o jantar e escutamos as histórias do Porto de Trás, comunidade quilombola da cidade.

Turismo de base comunitária em Itacaré
Mas se a sua viagem não coincidir com a lua, ainda dá para fazer trilhas noturnas até a prainha, conhecer a rica gastronomia (e aprender a fazer uma legítima moqueca baiana) no centro cultural da comunidade e sair para pescar o peixe do jantar próximo aos mangues da região.

Se quiser conhecer mais sobre esse tipo de passeios, eu corre lá no perfil @itacarehorizontes, com o guia Comprido, morador nativo que promove 10 roteiros alternativos por lá. A indicação é livre e de coração <3.

Onde comer em Itacaré

A maior parte dos restaurantes de Itacaré está concentrada ao longo da Rua Pedro Longo, carinhosamente conhecida como Pituba, e na Passarela da Vila, uma rua exclusiva para pedestres que conta também com lojinhas de presentes e alguns bares.

Onde comer em Itacaré - Restaurantes

Brunch no Ola Bistrô – Onde comer em Itacaré

Depois de passar três vezes pela cidade, elegi meus favoritos:

  • Manga Rosa: Serve pratos individuais preparados com peixes e frutos do mar com um toque regional. O ambiente é bem descontraído e praiano. Um dos meus favoritos na cidade. (Rua Pedro Longo, 249)
  • Jiló Bar e Restaurante: Um dos restaurantes mais bem cotados da cidade, serve releituras da cozinha local, como o delicioso risoto de moqueca de peixe ou camarão. Não deixe de conferir também a carta de drinks. (Av. Antonio Athanásio dos Santos, 25)
  • Aqua: Funciona em uma portinha e tem uma decoração pouco usual, que lembra um restaurante asiático. O Aqua serve deliciosa comida internacional e tem um bom preço. Vá às quartas para a noite de currys. (Rua Pedro Longo, 147)
  • Tapiocaria da Sandra: A melhor tapioca de Itacaré, de longe, com recheio abundante e precinho camarada. (Rua Pedro Longo, 68)
  • Ola Bistrô: Boa opção para café da manhã, brunch ou jantar. Serve cafés, sucos, sanduíches, bruschettas, iogurtes, frutas, bolos e outras delícias. O cardápio da noite muda sempre. (Rua Pedro Longo, 256)
  • Hamburgueria Na Brasa: Os melhores hambúrgueres artesanais da cidade. Há diversos sabores, mas meu preferido é o de carne seca, banana da terra e queijo coalho.
  • Nuuuuh! Café: Serve boas opções de menu no almoço e funciona como uma alternativa para co-working: quem está refugiado em home office na cidade é bem vindo para levar o computador e tomar uma xícara de café. As sobremesas são inesquecíveis: tente o foundant de chocolate com sorvete de parmesão ou a deliciosa cocada de forno.
  • Eco Beach: Com decoração estilosa e bons itens no cardápio, o Eco Beach é a minha barraca de praia favorita na Concha. Último estabelecimento da faixa de areia, próxima à Ponta do Xaréu, tem também música ao vivo quase todos os dias e serve boas pizzas, bolinho de bacalhau e opções de peixe para o almoço. Vai até as 21h, sendo também uma boa opção para jantar na beira da praia.

Bares e vida noturna em Itacaré

Como qualquer boa cidade jovem, em Itacaré a festa vai longe. Dá para encontrar o que fazer quase todos os dias, que começam de manhã, nas praias, e se estendem noite adentro, no centro.

Por do Sol no Espaço Dharma - Itacaré

Por do sol na ponta do Xaréu – Itacaré

  • Bananas Hostel: Três vezes por semana, o amplo quintal do hostel se transforma em um bar animado, com música ao vivo que vai do samba aos eventos de microfone aberto. Há sorteio de brindes como bebidas grátis e flash tatoos.( R. Pedro Longo, 169)
  • Pé de Amêndoa: Aos domingos rola um samba das 16h às 21h que costuma ficar cheio e bem animado. (Avenida Castro Alves, 100)
  • Squash Bar: Provavelmente o ponto de encontro do começo de noite de Itacaré, oferece música ao vivo a partir de quarta. Costuma ficar cheio de gente bebendo em pé e dançando na rua. (Rua Pedro Longo)
  • Favela Coffee Shop: Quem quiser esticar não tem muita opção a não ser seguir pro Favela, onde a música rola até as primeiras horas da manhã, na rua mesmo. Aos domingos, os DJs dão lugar para a música ao vivo. (Rua Pedro Longo, 270)

imagem  destacada: João Ramos, Flickr Commons


Compartilhe!







KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGENS
Receba nossas novidades por email
e baixe gratuitamente o kit




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

8 comentários sobre o texto “O que fazer em Itacaré: melhores praias, trilhas e atrações

  1. Oi Natália, obrigada pela menção. Aqui é Cláudia do Núúh Bistrô. Muito carinhoso da sua parte nos citar. Gostaria apenas de fazer algumas correções, se possível. É Núúh Bistrô e, além dos nossos cafés, somos também um restaurante para almoço e jantar (das 11h às 21h, na baixa estação. Para o verão, nosso horário vai até às 22h). Mas, de qualquer forma, nós do Núúh amamos! Obrigada, Obrigada

    1. Oi Geovani! Obrigado pelos comentários e pela leitura! Faz toda a diferença pra gente saber a opinião dos leitores!

      Abraço!

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.