O que fazer em Mendoza: roteiro de 4 dias, quando ir, onde ficar e mais!

Com pouco mais de 100 mil habitantes, Mendoza tem cara de cidade do interior e oferece muitas atrações além dos conhecidos vinhos produzidos ali. Lá tem neve, esportes radicais, praças e muita natureza. Para te ajudar a conhecer um dos lugares mais legais da Argentina, montamos este guia. É hora de descobrir o que fazer em Mendoza.

Até porque, há muito que se explorar. Apesar da grande variedade de atrações – tem para todos os estilos de viajante -, a cidade é mesmo conhecida por ser a capital argentina dos vinhos – cerca de 70% da produção da bebida no país é feita nessa região. São mais de 1200 bodegas e uma produção de 1 bilhão de litros por ano, só 10 vezes mais que tudo que é produzido no Brasil. E a maior parte das pessoas chegam ali em busca das uvas Malbec, marca registrada da região.

Neste texto, você vai descobrir quais as principais regiões produtoras de vinho nos arredores de Mendoza e como visitar as vinícolas, mas também vai ler tudo sobre as outras atrações da cidade, como o Monte Aconcágua, que fica ali pertinho. Além disso, também damos informações sobre como chegar, quantos dias ficar e alguns roteiros prontos para viagens de 4, 5 ou 6 dias. Vamos lá?

O que fazer em Mendoza, Argentina

Como chegar em Mendoza

Há voos diretos de Guarulhos para Mendoza e que são operados pela Gol e pela Latam. As passagem de ida e volta custam a partir de R$1400 e a viagem dura cerca de 4 horas.

Outras companhias também operam o trecho, com escalas em Buenos Aires e Santiago, no Chile. Outra opção é comprar os trechos aéreos em separado ou multi-destinos.

Saindo do aeroporto de Mendoza

Como não está longe do centro (são apenas 20 minutinhos de carro), pegar um táxi na saída do aeroporto de Mendoza não fica caro. Essa é a forma mais prática, em especial se você carrega muitas malas. Na porta, motoristas oferecem o serviço com taxímetro.

Também dá para contratar um remis – transporte privado com preço pré-pago – de dentro do aeroporto. Fica um pouco mais caro, mas o preço é fechado e não está sujeito a imprevistos.

Saindo de Buenos Aires

Outra forma de chegar em Mendoza é de ônibus, a partir de Buenos Aires. Apesar dos mil quilômetros e do trajeto de 14h que separam as cidades, a viagem noturna nem é tão cansativa, uma vez que os ônibus são confortáveis.

Uma alternativa para quebrar o tempo de viagem é fazer uma parada de um ou dois dias em Córdoba, que fica no meio do caminho. Essa é ainda uma chance de conhecer outra cidade cativante da Argentina.

Veja também:
O que fazer em Córdoba, as principais atrações
Como viajar de ônibus pela Argentina

Saindo de Santiago, no Chile

Mendoza está muito mais próxima de Santiago que de Buenos Aires. O percurso entre a capital do Chile e Mendoza dura umas sete horas de ônibus (incluindo a parada na imigração), mas a estrada atravessa os Andes e proporciona vistas lindíssimas.

Verifique se o percurso está aberto antes de viajar, principalmente durante o inverno, uma vez que a neve pode impossibilitar a passagem pela fronteira.

Se você já está em Santiago e deseja esticar a viagem pelo país vizinho, passar por Mendoza é a rota mais simples. As empresas que fazem o trajeto são a CATA Internacional e a Andesmar.

Veja Também: 
O que fazer em Santiago, a capital do Chile

De carro alugado

O que fazer em Mendoza

Dá para fazer o trajeto tanto de Buenos Aires quanto de Santiago de carro alugado. A vantagem é poder ir parando no caminho para conhecer outros lugares – famosos ou não. Como as estradas partindo de ambas as capitais são lindíssimas, desfrutar o trajeto até lá pode ser uma atração à parte.

A desvantagem são os custos. Essa é provavelmente a forma mais cara de chegar a Mendoza, lembrando que há um custo extra para devolver o carro em um lugar diferente do alugado.

Caso você opte por isso, nós indicamos o RentCars, que busca entre as principais locadoras e te ajuda a encontrar os melhores preços e condições de aluguel.

Seguro de Viagem para a Argentina

O seguro de viagem é opcional para a Argentina, mas nossa recomendação é que você nunca viaje sem, porque no caso de qualquer emergência médica, roubo, extravio de bagagem ou necessidade de interromper a viagem por conta de algum grande imprevisto, você estará protegido.

Para cotar o seu seguro, nós recomendamos a Seguros Promo, um buscador que compara os melhores preços e coberturas do mercado e te ajuda a encontrar o melhor custo/benefício para a sua viagem. Clique aqui descobrir como gastar menos de R$10 por dia e garantir um cupom de desconto para os leitores do blog ou utilize a caixa abaixo:

Seguro Viagem: América do Sul
Affinity 15 Affinity 15 Assistência médica USD 15.000 Bagagem extraviada USD 1.000 (SUPLEMENTAR) R$ 14/dia*
AC 35 MUNDO (Exceto EUA) + TELEMEDICINA AC 35 MUNDO (Exceto EUA) + TELEMEDICINA Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 15/dia*
Intermac 15 Turístico Internacional Intermac 15 Turístico Internacional Assistência médica USD 15.000 Bagagem extraviada USD 350 (SUPLEMENTAR) R$ 17/dia*

Qual a melhor época para visitar Mendoza?

Mendoza é uma cidade que pode ser visitada durante todo o ano. Cada estação tem seus próprios encantos e proporciona uma experiência diferente para o turista.

  • Para quem vai atrás dos vinhos, a melhor época é entre fevereiro e abril, quando as vinhas estão repletas de uvas. A vindima, festa da colheita da uva, ocorre no primeiro sábado de março. Esse é o período mais bonito para visitar as vinícolas, mas é também considerada alta estação na cidade, e isso faz com que os preços fiquem mais altos.

As vinícolas abrem para visitação durante todo o ano, portanto você não vai ficar sem vinho se for em outra época. Só não vai ver os vinhedos carregados, mas vai conseguir provar excelentes vinhos da mesma forma, por um preço mais baixo.

  • Quem vai atrás de neve deve visitar Mendoza no inverno, entre junho e agosto. Nessa época, dá para combinar as visitas às vinícolas com refeições quentinhas e esportes de inverno nas estações de esqui próximas, como a Los Penitentes, no Parque Provincial do Aconcágua.
  • O verão, entre novembro e março, é excelente para a prática de atividades e esportes ao ar livre. Essa é a melhor época para fazer as trilhas do Parque Provincial do Aconcágua, além de caiaque, rafting e asa delta, por exemplo.

Quanto tempo ficar em Mendoza

O recomendado é ficar entre quatro e seis dias em Mendoza. Com esse tempo, dá para passar parte dos dias visitando as bodegas, conhecer as montanhas e o centro da cidade. Se preferir, troque o centro por outro passeio que pareça mais interessante para você. Ou fique mais. Mendoza é uma cidade agradável, daquelas que dá vontade de não ir embora.

E três dias? Dá? Claro. Será mais corrido e você terá que cortar alguma coisa do roteiro, mas ainda é um tempo razoável para conhecer a cidade.

Roteiro de 4, 5 ou 6 dias em Mendoza

O que fazer em Mendoza com 4 dias

  • Dia 1: Visitar as vinícolas de Maipu (com excursão ou de bicicleta)
  • Dia 2: Visitar as vinícolas de Lujan de Cuyo
  • Dia 3: Fazer uma excursão pelo Parque Provincial do Aconcágua
  • Dia 4: Passear pelo centro da cidade ou visita às Termas de Cacheuta

O que fazer em Mendoza com 5 dias

  • Dia 1: Visitar as vinícolas de Maipú (com excursão ou de bicicleta)
  • Dia 2: Visitar as vinícolas de Lujan de Cuyo
  • Dia 3: Visitar as Vinícolas do Valle de Uco
  • Dia 4: Fazer uma excursão pelo Parque Provincial do Aconcágua
  • Dia 5: Passear pelo centro da cidade ou visita às Termas de Cacheuta

O que fazer em Mendoza com 6 dias

  • Dia 1: Visitar as vinícolas de Maipú (com excursão ou de bicicleta)
  • Dia 2: Visitar as vinícolas de Lujan de Cuyo
  • Dia 3: Visitar as Vinícolas do Valle de Uco
  • Dia 4: Fazer uma excursão pelo Parque Provincial do Aconcágua
  • Dia 5: Passear pelo centro da cidade ou visita às Termas de Cachaeuta
  • Dia 6: Visitar vinícolas que faltaram ou fazer rafting, cavalgada e outros esportes de aventura nas redondezas

O que fazer em Mendoza: as principais atrações

As vinícolas de Mendoza

Mendoza tem três principais regiões produtoras de vinho em seu entorno:

  • Maipú
  • Lujan de Cuyo
  • Valle de Uco

Leia o post completo: Vinícolas de Mendoza: melhores passeios e roteiros pela rota dos vinhos

Maipú e Lujan de Cuyo são mais próximas do centro da cidade e facilmente acessíveis por transporte público. A mais distante é Valle de Uco, mas também é a que leva a fama de produzir os melhores vinhos devido à sua altitude mais elevada.

Para o Valle de Uco, a melhor maneira de chegar é de carro. Como bebida e direção não combinam, vale a pena contratar um excursão (em grupo ou privada) para que você não tenha que se preocupar com traslado depois de umas tantas taças. Você pode pesquisar entre as agências de Mendoza e reservar o seu tour com antecedência por aqui.

 

Maipú

Gosta de vinho? Então você veio ao lugar certo. E mesmo quem não gosta tanto costuma incluir uma ou outra bodega no roteiro. Uma das áreas que concentram mais estabelecimentos é Maipu, uma cidade na região metropolitana de Mendoza que fica a poucos minutos do centro.

maipu argentina

Chegar lá é fácil, seja de carro ou de ônibus. No primeiro dia nós optamos pelo transporte público. Bastou pedir orientação do dono do hostel em que estávamos, no centro da cidade. Em 20 minutos estávamos em Maipu. Ali, o legal é alugar uma bicicleta e tirar o dia para visitar vinícolas. Alguns hotéis têm parceria com empresas que alugam bikes, o que deixa o passeio bem baratinho.

Você ganha um mapa, calcula as distâncias e começa a pedalar. Nós visitamos duas bodegas assim: a Mevi e a Domiciano. Além da degustação, você pode fazer um tour pela vinícola e aprender sobre o processo de fabricação de vinho (é provável que você saia de Mendoza como um expert no assunto). Se você der sorte, fará tudo isso com montanhas nevadas no fundo.

Diversos tours mais tradicionais oferecidos por agências são pelas vinícolas de Maipu. Em geral, eles duram meio dia e passam por três vinícolas. Vale fazer os dois passeios: tanto um tour organizadinho quanto o passeio por conta própria, de bicicleta. Se optar por isso, deixe a bike para o segundo dia, assim você vai saber quais vinícolas o tour da agência vai incluir e pode escolher outras em sua ida por conta própria, de bike.

Você pode contratar os passeios por Maipú com antecedência por aqui.

Luján de Cuyo

Lujan de Cuyo fica logo em frente a Maipú, separada apenas por uma rodovia. É possível pegar um ônibus no centro de Mendoza e percorrer tudo de bicicleta. Entre as bodegas recomendadas da região estão a Lagarde e Clos de Chacras, uma vinícola menor, além da famosa Bodega Norton.

Outras vinícolas dignas de nota são a Catena Zapata e, claro, a Chandon. Essa é uma das vinícolas mais concorridas de Mendoza. Caso queira visitá-la, é aconselhável reservar o tour com antecedência. Saiba mais aqui.

 

Valle de Uco

A região de Valle de Uco está 100 quilômetros distante do centro de Mendoza e concentra as vinícolas mais novas. Isso impossibilita visitar o local utilizando transporte público e, por conta dessa distância, os passeios até lá são um pouco mais caros.

O esforço compensa. Essa região tem a fama de produzir os melhores vinhos de Mendoza. Por estar mais próxima da Cordilheira e, logo, em um ponto mais alto, dizem que as uvas produzidas ali tem melhor qualidade. Se for passar por lá, não deixe de conferir a Andeluna, a Salentein e a Domaine Bousquet, famosa por ser uma vinícola orgânica.

Para os interessados, clique aqui para reservar o tour ao Valle de Uco com antecedência.

Fábricas de Azeite em Mendoza

Mendoza também tem muitas fábricas de azeite, outra indústria importante para a região. Elas ficam na mesma área das vinícolas. Por isso, vale a pena incluir uma delas no seu passeio (os tours de agência incluem, em geral).

Durante a visita, você poderá aprender sobre o cultivo e a produção de azeite de oliva, as técnicas de degustação  e ainda experimentar o produto e seus derivados.

Algumas fábricas de azeite que recebem visitas são:

Parque Provincial do Aconcágua: Passeio de Alta Montanha

O passeio Alta Montaña, oferecido por diversas agências da cidade, é uma experiência imperdível em Mendoza. Durante um dia inteiro, você sai da cidade e sobe a montanha, pela estrada que liga a Argentina ao Chile. O trajeto é longo e um pouco cansativo, mas vale a pena.

Você passará por lugares icônicos, como a Ponta do Inca, parte do caminho Inca, e chegará a 3.900 metros acima do nível do mar, na fronteira com o Chile. O tour termina no Parque Provincial do Aconcágua, onde você vai avistar o Aconcágua, ponto mais alto das Américas. Basta ver as fotos para perceber que esse passeio – no verão ou no inverno – é incrível.

Veja também: Como é o tour pelo Parque Provincial do Aconcágua

Os passeios são a forma mais prática de fazer o trajeto a partir de Mendoza, uma vez que a empresa inclui o traslado a partir do hotel, paradas e refeições, com partidas programadas para as 7h30 da manhã. Há diversas agências que oferecem o serviço na cidade, mas você pode deixar reservado com antecedência em uma das empresas recomendadas aqui.

Termas de Cacheuta

Esse parque termal conta com piscinas naturais e um spa para relaxamento. A água ali atinge temperaturas que variam entre 28ºC e 42ºC e as piscinas estão em meio a uma bonita paisagem natural. Desfrute também do banho de lama rejuvenescedor para a pele.

O Parque Termas de Cacheuta fica a cerca de uma hora de carro de Mendoza. Excursões da agência fazem o traslado e incluem o ticket de entrada. Você pode comprar com antecedência por aqui.

Esportes radicais em Mendoza

Caique, rafting, rapel, trekking… Mendoza tem diversas opções para quem curte um pouco de adrenalina. A cidade é cercada de natureza e têm várias opções de atividades ao ar livre, seja nas águas do Rio Mendoza ou entre as montanhas da pré-cordilheira. Para isso, sugerimos que você contrate agências especializadas em esportes radicais e compre um seguro de viagem com cobertura para acidentes nesse tipo de situação.

 

O que fazer em Mendoza: centro da cidade

Ficar hospedado perto das vinícolas parece ser incrível, mas não tenha medo de ficar no centro. Nós fizemos isso. A vantagem é que Mendoza é uma cidade pequena e bem tranquila. Lá você vai encontrar diversas praças e ruas bastante arborizadas. Como o clima de Mendoza é semi-desértico (quase não chove por lá), a cidade conta com um sistema de canais de irrigação.

Veja também: Onde ficar em Mendoza

Mendoza, Argentina  O que fazer em Mendoza

O centro tem cinco praças, todas próximas umas das outras. Foram construídas no século 19, logo depois que um terremoto destruiu a cidade e matou 5 mil pessoas. A mais importante é a Plaza Independencia, que fica exatamente no centro das outras quatro. Enorme, essa praça tem museus, um teatro ao ar livre, fontes e jardins. É muito usada pela população local. 

As outras quatro praças são Plaza Italia, Plaza Chile, Plaza España e Plaza San Martín. Todas elas estão a dois quarteirões da Plaza Independencia. São praças menores, mas bonitas. A minha favorita? A España, toda decorada com azulejos.

Outro ponto da cidade que merece uma visita é o Parque General San Martín, uma das maiores áreas verdes urbanas da Argentina. A entrada fica pertinho do centro – dá para ir a pé. Lá ficam museus, um estádio, muitos jardins e até um mirante. É o Cerro de la Gloria, que faz parte do Parque, mas está um pouco longe da cidade. Para chegar lá, o ideal é ir de carro ou ônibus.

E não se esqueça: o passeio mais legal no centro de Mendoza é percorrer as ruas arborizadas da cidade, ver a vida passar e o dia a dia das pessoas. Procure um restaurante, peça um vinho e uma milanesa. Ou uma cerveja e uma picada. Fica a seu critério.

Veja também: 12 comidas imperdíveis da Argentina

O que fazer em Mendoza à noite

Mendoza pode ser pequena e pacata, mas não deixa na mão quem curte a vida noturna.

Para encontrar bons bares e restaurantes – que servem os vinhos regionais e bons pratos da comida argentina, basta caminhar pela Avenida Aristides Villanueva. A esticada fica por conta das baladas da região de Chacras de Coria, ponto de encontro da juventude em busca dos pubs e baladas da cidade.

Onde ficar em Mendoza

Hotéis no centro

Ficar no centro de Mendoza é uma boa opção se você quer economizar na diária e prefere um ambiente mais urbano, próximo a bares, restaurantes e comércio. Para mais informações sobre hotéis e regiões, leia nosso guia completo de onde ficar em Mendoza.

Algumas opções de hospedagem no centro de Mendoza são:

Hospedagem em Vinícolas

Diversas vinícolas em Mendoza oferecem serviço de hospedagem e restaurante para tornar sua experiência na região dos vinhos ainda mais imersiva.

Algumas hospedagens em vinícolas recomendadas em Mendoza são:


Compartilhe!







Quer nosso kit de Planejamento de Viagens?
Contém um Ebook, tabelas de orçamento,
roteiro e check-list (DE GRAÇA!)




Natália Becattini

Jornalista, escritora e mochileira. Viajo o mundo em busca de histórias e de cervejas locais. Já chamei muito lugar de casa, mas é pra BH que eu sempre volto. Além do 360, mantenho uma newsletter inconstante, a Vírgulas Rebeldes, na qual publico crônicas e contos . Siga também no instagram @natybecattini e no twitter.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

26 comentários sobre o texto “O que fazer em Mendoza: roteiro de 4 dias, quando ir, onde ficar e mais!

  1. Olá,Rafael!
    Estou indo agora em junho a Mendoza e tenho algumas dúvidas: A neve cai apenas na cordilheira e não na região de Mendoza, certo? Mesmo assim o frio pode atrapalhar as visitas em vinícolas caso a escolha seja ir de ônibus ou de bicicleta?
    E quanto a Termas de Cacheuta no inverno, não vale a pena? Principalmente a parte das termas a céu aberto?

  2. Estou em Mendoza. Vim de carro de Minas Gerais.
    Gostei do post. Vou conhecer os Parques, vinícolas eme 2 dias e depois as montanhas a caminho de Santiago!
    Obrigado pelas dicas.

  3. Parabéns pelas informações, Rafael. Texto conciso e super esclarecedor.

    Para quem pretende ficar 1 mês em Mendoza. É melhor alugar um AP no centro da cidade ou ficar em Hotel?

    A intenção é fazer um curso de espanhol e aproveitar a cidade durante o período.

    Como é o custo de vida em Mendoza? É mais barato que Buenos Aires?

    Obrigado

Carregar mais comentários
2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.