12 roteiros de viagem pela Itália: de 7 a 30 dias


Pensar uma viagem pela Itália pode ser tarefa complicada, afinal, o país sem dúvida merece um roteiro próprio: é  um lugar onde você encontra Roma, Veneza, Florença e uma centena de outras cidades e paisagens ricas em cultura, história, gastronomia e belezas naturais. Para tentar facilitar essa tarefa, separamos neste texto sugestões de roteiros de viagem pela Itália, com idéias de itinerários prontos para quem tem 7, 10, 15, 20 e até 30 dias no país. E várias dicas práticas para facilitar sua viagem!

 

Visita ao Coliseu de Roma

Vista interna do Coliseu, em Roma

Mapa da Itália: quais cidades visitar?

Com formato de uma bota, a Itália fica no centro-sul da Europa. É banhada pelo Mar Mediterrâneo e faz fronteira com França, Suíça, Áustria e Eslovênia, ao norte. No sul, a bota se encontra com duas grandes ilhas, também parte da Itália: Sicília, a ilha que  aparenta ser chutada, e Sardenha, a ilha logo adiante.

Mapa da Itália

Mapa com as principais cidades italianas

A Itália é quase do tamanho dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro juntos, mas repare que é bem extensa. Portanto, visitar os principais destinos turísticos do país pode envolver grandes deslocamentos. Veneza está no norte, quase na fronteira com a Eslovênia. Milão também fica no norte, mas mais perto da Suíça. Florença está um pouco mais abaixo, enquanto Roma fica praticamente no meio da bota. Nápoles, Pompeia, Matera e a região da Sicília estão ao sul de Roma.

Algumas dicas práticas de viagem para Itália:

  • Escolha cidades para bases em cada região. Fique vários dias em cada uma delas. A partir delas você pode fazer viagens curtas, as chamadas bate-volta, quando você vai e volta no mesmo dia para destinos interessantes ao redor.
  • Roma, Florença, Bolonha, Milão, Veneza, Nápoles e Palermo são cidades interessantes para fixar uma base por alguns dias. E isso para citar apenas as mais, digamos, clássicas, ao norte de Roma. Há muito o que fazer em cada uma delas. E ao redor delas.
  • Pode valer a pena saber o nome das cidades em italiano, para não se confundir. Milão é Milano, Florença é Firenze, Nápoles é Napoli (e por aí vai). No mapa acima os nomes estão em italiano. De propósito. 🙂
  • Gaste um tempo para analisar o mapa do país e saiba onde estão essas cidades. Assim você monta um roteiro lógico e sequencial.

Como se locomover pela Itália: Carro, avião, trem ou ônibus?

O trem é a forma mais comum para se deslocar pela Itália, mas com o carro você ganha em charme ao visitar pequenas vilas; com o ônibus você ganha em economia; e com avião, pode ganhar tempo. Vou explicar um pouco melhor sobre as vantagens e desvantagens de cada um.

Antes de você decidir entre uma modalidade de deslocamento e outra, sugiro que leia nosso texto sobre como se deslocar na Europa mais barato: nele explicamos o uso de uma ferramenta que compara os diferentes tipos de transporte.

Viagem de trem na Itália

A principal operadora ferroviária do país é a Trenitalia, que possui dois tipos de trem: os Regionais, mais lentos e velhos; e os Freccia (divididos em Rossa, Bianca e Argento), que são trens de alta velocidade. Além disso, existe a Italo Treno, uma empresa privada, de trens de alta velocidade, que cobre as principais cidades turísticas italianas. Não é necessário comprar trens regionais com antecedência, mas os trens Freccia e os da Italo tem um desconto muito grande se comprados online, a partir de 90 dias antes. Na minha experiência os trens da Italo estavam (quase) sempre mais baratos.

Leia também nossas dicas para viajar de trem pela Europa

Antes de comprar pela internet, vale lembrar que algumas cidades têm mais de uma estação de trem. É importante saber de qual delas o seu trem partirá, para não ir ao lugar errado ou descer na estação errada.
Para quem vai fazer deslocamentos curtos ou regionais, pode deixar para comprar diretamente na bilheteria ou nas máquinas das estações, e pegar o próximo trem que passar. Não esqueça de validar esses tickets antes de entrar no trem. Para fazer isso, você tem que procurar as máquinas de validação, que ficam nas estações. Não validar é sinônimo de multa. E pode ser alta.

Viajar de carro na Itália

Muita gente sonha em viajar pela Itália de carro – já imaginou fazer uma road trip pela Toscana? Se esse for o seu caso, recomendamos que você leia nosso texto sobre aluguel de carro na Itália. É que o país é famoso pelas, digamos, pegadinhas que levam turistas a pagar multas altas. É só seguir as dicas e evitar dirigir nos centros históricos. E tome cuidado também com os pedágios, que são diferentes dos que existem no Brasil.

Tour na Itália de ônibus

O deslocamento de ônibus pode ser a opção mais barata em algumas ocasiões, como para quem compra de última hora. Ainda, para quem não quer alugar carro, pode ser a única forma de transporte disponível.

Por exemplo, quem viaja pela Costa Amalfitana sem carro tem que recorrer aos deslocamentos de ônibus entre as cidades. Nesses casos, de deslocamentos mais curtos, interregionais ou dentro de uma cidade, o ônibus funciona de forma padrão: você compra o ticket numa bilheteria ou tabaccaria e pega o próximo que passar.

Para deslocamentos mais longos, empresas como a Flixbus, BusCenter, Baltour e Eurolines fazem os trajetos. Confira qual tem o melhor custo/benefício no site da Omio, um comparador de passagens na Europa.

Deslocamentos de Avião

As principais cidades italianas têm aeroportos onde operam diversas cias áreas, incluindo as low costs. Com isso, em algumas ocasiões o deslocamento de avião pode não só ser a opção mais rápida, como até mais barata. Por exemplo, já comprei um voo de Bari (no sul) para Milão (no norte), por 30 euros. De trem esse deslocamento envolveria várias baldeações e bem mais tempo e dinheiro.

Em termos de qual aeroporto chegar na Itália, é importante dizer que quase todos os roteiros abaixo foram pensados para começar a partir das duas cidades que mais recebem voos internacionais a partir do Brasil: Roma e Milão.

Roteiro Itália 7 dias

  • Roma e Arredores

Roma sozinha e seus arredores rendem facilmente sete dias de viagem. Já estivemos ali mais de seis vezes, e nunca esgotamos tudo o que tem para fazer! Duvida? Dá uma olhada na quantidade de textos e dicas que temos sobre a cidade:

O que fazer em Roma: roteiro completo de 1 a 7 dias
Restaurantes em Roma: 12 dicas de onde comer lá
5 passeios diferentes em Roma e arredores
Onde ficar em Roma: os melhores bairros e hotéis

  • Roma, Nápoles e as ruínas de Pompeia

Fique cinco dias em Roma e depois pegue um trem para Nápoles. Os trens rápidos fazem o trecho em pouco mais de uma hora. Comprando com antecedência, é possível achar tickets por até 9 euros (trens mais lentos, que fazem o percurso em duas horas) ou 19 euros (trens mais rápidos).

O preço vai aumentar bastante se você deixar para a última hora, portanto é preciso se planejar. Compre as passagens três meses antes da viagem. Passe duas noites em Nápoles, dedicando um dia a cidade e outro para conhecer as ruínas de Pompeia e Herculano, cidades destruídas pelo Vesúvio.

O que fazer em Nápoles de 1 a 3 dias
Onde ficar em Nápoles: dicas de hospedagem
Guia completo para visita às ruínas de Pompeia e arredores

O que fazer em Nápoles Itália

Vista de Nápoles

  • Roma e Florença

Passe quatro noites em Roma, com tempo para conhecer o Coliseu, as ruínas do Império, as obras renascentistas e o Vaticano. Depois, pegue um trem para Florença, na Toscana (a partir de 20 euros e com a viagem demorando entre 1h30 e 2h45, dependendo do trem).

Passe três noites em Florença. Além das belezas da cidade, se sobrar tempo você pode conhecer a Torre inclinada de Pisa. Também dá para ir até lá de trem, numa viagem rápida de menos de 1h. Como a cidade de Pisa também fica na Toscana, não é preciso comprar esse ticket com antecedência – basta comprá-lo na estação de trem de Florença. Em geral, isso vale para todas as viagens que você fará no esquema bate-volta, quando as duas cidades são na mesma região e as passagens são frequentes e quase sempre baratas.

O que fazer em Florença: roteiro pronto para 2 ou 3 dias
Onde ficar em Florença: dicas de hotéis
Guia dos museus de Florença
Visita à torre inclinada de Pisa

Países que não exigem visto de brasileiros

Florença

  • Milão e Veneza

o-que-fazer-milao

Essa opção é para quem comprou passagens aéreas para Milão, no norte do país. Fique três noites na cidade. Se achar que tem tempo suficiente, faça um bate-volta até Como, cidade a cerca de uma hora de trem de Milão. Não é necessário comprar esse ticket com antecedência.

O que fazer em Milão, Itália: 10 pontos turísticos e outras dicas imperdíveis
Onde ficar em Milão: os melhores bairros
Dicas para a Noite em Milão

De Milão, pegue um trem para Veneza. As viagens duram entre 2h e 4h, dependendo do trem, e custam a partir de 19 euros, se compradas antes da viagem. Fique quatro noites por lá. Nesse caso, a opção de bate-volta tradicional é para Verona. Mas eu garanto que só Veneza já rende quatro dias de viagem tranquilamente, tantas são as belezas que você encontrará por lá.

O que fazer em Veneza: guia completo de 1 a 3 dias
Onde ficar em Veneza: o guia completo dos 9 melhores bairros
Ilhas de Veneza: Murano, Burano e Torcello

  • Milão ou Florença e Cinque Terre

Comece em Milão ou Florença, dedicando três dias para a cidade escolhida e depois siga para as belas paisagens de Cinque Terre: cinco vilarejos à beira do mar mediterrâneo, na região da Ligúria, noroeste da Itália. O truque para a região é escolher uma cidade de base: Levanto ou La Spezia estão nas duas pontas e a partir delas conhecer as vilas. O trem rápido de Milão para uma dessas duas cidades leva de 2h40 a 3 horas. Dedique 4 dias tranquilos para conhecer as 5 vilas: Monterosso, Vernazza (foto abaixo), Corniglia, Manarola e Riomaggiore.

Slow travel em Cinque Terre e a pressa como inimiga das viagens agradáveis

Cinque Terre italia Viagem

Roteiro Itália 10 dias

Quanto mais tempo, melhor. E se 10 dias ainda não é o ideal para conhecer a Itália, certamente já permite um roteiro mais elaborado, com três bases.

  • Roma, Nápoles e Florença

Comece por Roma. Fique quatro noites da antiga capital do Império e depois vá para Nápoles, conforme já explicado acima. Passe uma ou duas noites por lá, ao seu critério, com tempo para conhecer as ruínas de Pompeia. A partir daí, você segue para Florença (entre 2h50 e 5h de viagem, com passagens a partir de 9 euros se compradas antes), onde passará o resto do seu tempo conhecendo as atrações da Toscana.

  • Regiões da Lombardia e Veneto

Comece por Milão e aproveite três dias na capital da moda da Itália. Você tanto pode continuar na cidade como base, como pode mudar sua hospedagem mais para o interior. De qualquer forma, aproveite essa chance para conhecer destinos gastronômicos e vínicos por excelência. Depois, siga para Veneza (quatro dias), com um bate-volta em Verona.

Bérgamo, uma cidade medieval e bate-volta de Milão
Tradições culinárias e vinícolas na Lombardia, Itália
Lago di Como, bate-volta a partir de Milão
Sagra dei Crotti, em Chiavenna: um festival tipicamente italiano

  • Milão e a região da Emilia Romana

Comece também por Milão e de lá, siga para Bolonha, que será sua sede por quatro dias. A viagem dura entre 1h e 3h, dependendo do trem, e pode ser comprada a partir de 9 euros. Além de conhecer uma cidade com uma baita culinária, essa é sua oportunidade de pisar em lugares como Ravena (a cidade onde o Império Romano acabou e a Idade Média começou), Rimini (um balneário italiano), San Marino (um país minúsculo cercado pela Itália por todos os lados e que fica perto de Rimini) e também cidades como Modena e Parma.

san marino vista

Eu sei, não dá para fazer tudo isso, então escolha conforme suas preferências. Todos os deslocamentos a partir de Bolonha são de trem regional, demoram no máximo uma hora e não é preciso comprar a passagem com antecedência.

De Bolonha, siga de trem para Florença, onde você passará o restante de seus dias na Itália. A viagem é rápida, mas essa deve ser comprada com antecedência, já que são dois estados diferentes. Dura entre 35 minutos e 1h, dependendo do trem, e custa a partir de 9 euros.

Roteiro Itália 15 dias

Com 15 dias fica interessante unir as duas pontas da viagem: você compra uma passagem multidestinos, começando por Roma e voltando por Milão (ou contrário).

  • Roma, Florença e Toscana, Bolonha e Milão

Fique cinco dias inteiros em Roma. Em seguida, pegue o trem para Florença e fique quatro noites por lá, aproveitando para  conhecer jóias como Siena e San Gimignano. Depois de conhecer tudo que te interessa na Toscana, siga para Bolonha, fique duas ou três noites na cidade e siga para Milão, onde você completa sua viagem pela Itália. Baita viagem, não?

  • Roma, Florença e Toscana, Nápoles ou Veneza

Esse roteiro envolve variar as alternativas dos itens anteriores. Você pode, por exemplo, tirar Bolonha do roteiro, mas incluir alguns dias a mais em Nápoles. Outra alternativa é tirar Bolonha ou Milão do roteiro, mas incluir Veneza.

Como viajar ao exterior

  • Roma, Nápoles e Costa Amalfitana

A terceira opção é voltada para a região mais ao Sul da Bota. Fique 5 dias em Roma e depois desça para Nápoles. A cidade merece três dias inteiros do seu roteiro e mais pelo menos um para conhecer Pompéia e Herculano. Depois desses quatro dias, siga para a Costa Amalfitana. Você pode ficar numa das belas vilas da Costa, como Positano, Amalfi ou Ravello, ou economizar um pouco ficando em Salerno ou Sorrento. De qualquer forma, dedique cinco dias a região, dividindo o tempo entre as vilas e cidades, incluindo também as ruínas de Paestum.

Como organizar seu roteiro pela Costa Amalfitana
Onde ficar na Costa Amalfitana: qual cidade?

Roteiro Itália 20 dias

  • Cidades Clássicas

Eu acho que nesse ponto do texto você já pegou a lógica, né? Então vou evitar a repetição desnecessária. Com vinte dias você pode montar um roteirão imenso, começando por Roma (cinco dias) e terminando em Milão (três dias), mas que também pode incluir Florença, Bolonha, Veneza como bases, com quatro dias inteiros para cada uma delas, incluíndo bate-voltas.

  • Sul da Itália

O início é semelhante ao roteiro de 15 dias. Comece por Roma (5 dias), siga para Nápoles (3 dias), visite Pompeia (1 dia) e de lá, vá para a Costa Amalfitana (4 ou 5 dias). Nessa viagem, você também pode aproveitar para conhecer a Ilha de Capri.

O que fazer em Amalfi e Ravello
O que fazer em Positano
O que fazer em Salerno

positano costa amalfitana itália

Positano, na Costa Amalfitana

Nos seis ou sete dias restantes, continue rumo ao sul. Nossa primeira sugestão é a incrível Matera, cidade das cavernas, que foi a capital da cultura europeia de 2019: dedique 2 ou 3 dias à cidade. De lá, você pode explorar a região de região de Puglia: Alberobello e Bari  já entraram no nosso roteiro.

Ou ainda, se quiser seguir ainda mais ao Sul, pode ir conhecer Tropea, um destino de praia lindíssimo, na Calábria.

Saiba mais: Roteiro pelo Sul da Itália em Puglia e Basilicata

matera italia sassi panorama praça

Matera, no Sul da Itália

Roteiro Itália 30 dias ou mais

Com 30 dias, meu amigo, dá para fazer a Itália de Norte a Sul. Da Lombardia a Sicília. No mapa abaixo, você consegue ver os 10 destinos base possíveis para um roteiro desses: Milão, Veneza, Bolonha, Cinque Terre, Florença, Roma, Nápoles, Costa Amalfitana, Matera, Trompea e Palermo.

Aproveitando a deixa, não há muito conteúdo na internet sobre a Itália não continental. Enquanto o 360 não arruma um tempinho para ir até lá, siga as dicas da Patrícia, brasileira que vive na Sicília desde 2007 e escreve o blog Descobrindo a Sicília.

roteiros de viagem pela itália

Sicília (Foto: gnuckx, Wikimedia Commons)

Qual o custo de uma viagem para Itália?

Uma viagem econômica para Itália custa uma média de 65 euros por dia, mais barato no sul e mais cara ao norte. Para quem tem um estilo que busca mais conforto, o valor sobre para cerca de 80 euros por dia. Se você quer entender esses valores detalhadamente, com os custos de hospedagem, transporte e passeios, dá uma olhada no nosso texto sobre quanto custa viajar para Itália.

Qual a melhor época para viajar para Itália

A Itália é um país de clima mediterrâneo, com verões bastante quentes, no período que vai de junho a meados de setembro. Apesar de não ser a melhor época para bater perna, é excelente para quem busca destinos praianos.

Da metade março ao final de maio (primavera) e da metade de setembro ao início de novembro (outono), as temperaturas estão mais frescas e agradáveis para quem quer passear pelas grandes cidades: um casaquinho e peças de meia estação seguram os ventos mais frios. Nessa época pode chover

Por fim, o inverno (meados de novembro ao final de fevereiro) é a estação mais fria e chuvosa. Tem como ponto positivo a baixa temporada, com atrações sem fila e hospedagens mais baratas. Além disso, essa é a época para quem quer ver neve nas regiões montanhosas.

Dicas de hotéis nas principais cidades italianas

Hotéis em Roma

  • Luxo: NH Collection Roma Fori Imperiali – Cinco estrelas com direito a vista para o fórum romano. Cerca de 210 euros o quarto duplo.
  • Apartamento: Historical Domus near Pantheon Square – Ótimo apartamento colado ao Panteão. Tem dois quartos e acomoda até seis pessoas. Diárias por cerca de 180 euros, o que é ótimo para famílias. Testamos!
  • Hotel três estrelas: Via Del Corso Home Roma – Na Praça Venezia e perto de atrações como a Fontana di Trevi. Bem avaliado. Cerca de 100 euros no quarto duplo.
  • Hostel: Alessandro Downtown & Bar – Perto da principal estação de trens de Roma, a Termini. Cerca de 15 euros para a cama no dormitório. Testamos!

Hotéis em Milão

  • Hotel quatro estrelas/luxo: iH Hotels Milano Ambasciatori – A 200 metros da Catedral, com localização extraordinária. Cerca de 150 euros o quarto duplo.
  • Hotel três estrelas: Canova Hotel – Fica a cinco minutos a pé da estação de trem e mais perto ainda do metrô. A rua é tranquila e movimentada, dia a noite. Cerca de 65 euros no quarto duplo. Testamos!
  • Hostel: Ostelzzz Milano Muito bom, com cabines/capsulas no lugar de beliches, que garantem privacidade. Fica a 15 minutos de caminhada da estação de trens. Cerca de 30 euros a cama em dormitório.

Hotéis em Veneza

  • Hotel quatro estrelas/luxo: Palazzo Veneziano – Muito bem avaliado e numa das melhores regiões de Veneza, o Dorsoduro. Cerca de 200 euros o quarto duplo.
  • Hotel três estrelas: Hotel Pausania – Ótimo custo/benefício no Dorsoduro, próximo de uma das áreas mais boêmias da cidade. Cerca de 100 euros o quarto duplo.Testamos!
  • Hostel: Generator Venice – Albergue em La Giudecca, que faz parte de Dorsoduro, mas numa ilha um pouco mais afastada. Cerca de 30 euros o quarto duplo.

Hotéis em Florença

  • Hotel quatro estrelas/luxoTwo Towers-Ramaglianti & Belfredelli – Apartamentos numa torre medieval, do lado da Ponte Vecchio. Cerca de 98 euros o quarto duplo.
  • Hotel três estrelas: Duomo View – Hospedagem simples, mas de frente para o Duomo. Cerca de 70 euros o quarto duplo.
  • Apartamento: Firenze Rentals Suite Oche – Apartamentos modernos e muito bem localizados, na rua paralela ao Duomo. Cerca de 130 euros para duas pessoas.
  • Hostel: Plus Florence – Piscina, ótima estrutura e a 10 minutos da estação de trem. Cerca de 20 euros a cama de dormitório.

Hotéis em Nápoles

  • Apartamento:  Albachiara – Um estúdio com varanda e vista, muito bem localizado. Recebe até quatro pessoas. Cerca de 120 euros por dia.
  • Hostel: NeapolitanTrips Hostel & Bar – Um dos melhores albergues de Nápoles. Camas em dormitórios por cerca de 20 euros por dia.

Compartilhe!







Quer nosso kit de Planejamento de Viagens?
Contém um Ebook, tabelas de orçamento,
roteiro e check-list (DE GRAÇA!)




Rafael

Siga minhas viagens também no perfil @rafael7camara no Instagram - Quando criança, eu queria ser jornalista. Alcancei o objetivo, mas uma viagem de volta ao mundo me transformou em blogueiro. Já morei na Índia, na Argentina e em São Paulo. Em 2014, voltei para Belo Horizonte, onde estou perto da minha família, do meu cachorro e dos jogos do América. E a uma passagem de avião de qualquer aventura.

  • 360 nas redes
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2018. 360meridianos. Todos os direitos reservados. UX/UI design por Amí Comunicação & Design e desenvolvimento por Douglas Mofet.